sábado, 12 de fevereiro de 2011 | Autor:

Esta música me emociona muito. Tanto pela interpretação simplesmente divina de Sarah Brightman, quanto pela música arrebatadora e principalmente pela letra de Filho Perdido. Ah! E a produção impecável! Quando é que vamos conseguir uma produção destas realizada por gente nossa? Quisera que o Dia do Yôga um dia fosse homenageado com uma produção assim…

Links:

FIGLIO PERDUTO

Música de Van Beethoven / adaptação de Michael Soltau e Chiara Ferraú, baseados em um texto de Von Goëthe, conforme link enviado pelo nosso companheiro Luis Régio. Interpretada no link acima por Sarah Brightman.

Muri di vento
Notte è scesa
Padre e figlio sono insiem.

Con un cavallo
Vanno avanti
In questa grande oscurità.

Ma ad un tratto
Il bimbo trema
Dalla paura
Freddo si fa.

Padre, oh padre!
Tu non hai visto?
Re degli elfi
Eccolo la!

Figlio perduto!
Vuoi far un gioco?
Gioia ti porto
Vieni con me.

Padre, oh padre!
Hai già sentito?
Cosa mi dice?
E che vuol’ far’?

Figlio perduto!
Se tu non vieni
Io userò la forza che ho.

Padre, oh padre!
Re degli elfi
Mi sta toccando
Male mi fa.

E il bambino,
Con occhi chiusi
Lui non si muove
Perso è già.

Figlio,
Figlio perduto!
Se tu non vieni
Io userò la mia forza.

Padre, oh padre!
Re degli elfi
Mi sta toccando
Male mi fa.

E il bambino,
Con occhi chiusi,
Lui non si muove
Perso è già.

… perso è già!

TRADUÇÃO

Figlio Perduto

Muros de vento,
A noite caiu.
Pai e filho estão juntos.

Com um cavalo,
Seguem em frente,
Nesta grande escuridão.

Mas num momento
O menino treme
De medo.
Faz-se frio.

Pai, oh pai!
Você não viu
o Rei dos Elfos?
Ei-lo lá!

Filho perdido,
Você quer fazer um jogo?
Alegria te trago.
Venha comigo.

Pai, oh pai!
Você já ouviu?
O que ele diz?
E o que quer fazer?

Filho perdido!
Se você não vem
Eu usarei a força que tenho.

Pai, oh pai!
O Rei dos Elfos
Está me tocando.
Mal ele me faz!

E o menino
Com os olhos fechados
Não se move.
Perdido já está.

Filho,
Filho perdido!
Se você não vem
Eu usarei a minha força.

Pai, oh pai!
O Rei dos Elfos
Está me tocando.
Mal ele me faz.

E o menino
Com os olhos fechados
Não se move.
Perdido já está!

…perdido já está!

English

Walls of wind
Night has fallen
Father and son are together
With a horse
They proceed
Through this intense darkness
But suddenly
The boy trembles
With fear
It gets cold
Father oh father
Haven’t you seen
The king of the elfs
There he is
Lost son
Do you want to play?
I bring you joy
Come with me
Father oh father
Did you hear
What he said
And what he will do?
Lost son
If you don’t come with me
I will use the power that I have
Father oh father
The king of the elfs
Is touching me
He hurts me
And the boy
Eyes closed
He doesn’t move
He’s already lost
Son
Lost son
If you don’t come with me
I will use my power
Father oh father
The king of the elfs
Is touching me
He hurts me
And the boy
Eyes closed
He doesn’t move
He’s already lost
…he’s already lost
sexta-feira, 2 de janeiro de 2009 | Autor:

No Brasil, é melhor escrever junto; na França, o certo é separado. Nos Estados Unidos, é junto; na Itália, é separado. A forma original e correta é escrever separado. Nos países de língua inglesa ou influenciados por eles devemos escrever tudo junto, com D e R maiúsculos, porque nesses países as pessoas não sabem que o De deve ter inicial maiúscula e que faz parte do nome. É o caso dos nomes DeSica, DeNiro, DeGaule. Naqueles países, se DeNiro tivesse seu nome escrito separadamente (como deve ser), todos o chamariam de “Mister Niro”. Imagine a gafe de chamar “General Gaule” ao General De Gaule! Isso ocorreu, por exemplo, quando Ravi Shankar escreveu a mensagem elogiando o nosso trabalho em 1969, na qual ele escreveu “Prof. Rose”, porque o nome estava escrito separadamente e é mais educado tratar as pessoas pelo último sobrenome. Assim, ele foi polido ao fazê-lo. Esse foi, também, o caso de Beethoven, que teve o seu nome celebrizado sem o Van. O correto seria chamá-lo Van Beethoven, assim como chamamos Van Lysebeth ao Presidente da Federação Belga de Yôga, recentemente falecido; e Von Hartenthal, àquele promissor profissional de Yôga de ascendência na nobreza alemã. Mas as pessoas, em geral, não sabem que o Van, do holandês, e o Von, do alemão, equivalem ao De, do francês e do italiano. Também por isso, MacDonald é escrito desta forma nos Estados Unidos e a Macintosh desistiu de manter o I maiúsculo, como esse nome é escrito originalmente e corretamente. Mac significa “filho”. O sobrenome Mac Intosh indica que a pessoa pertence ao clã dos Intosh, da Escócia.

Assim, na Inglaterra, Estados Unidos, Brasil e América Latina em geral, escrevo DeRose (junto). Na França, Itália, Bélgica, Suíça e Canadá, escrevo De Rose (separado). Leia mais »