terça-feira, 10 de fevereiro de 2009 | Autor:

Se você tem certificado ou selinho a receber, procure imediatamente a Federação para se inscrever na solenidade que se realizará no dia 13 às 19 horas. Se você é instrutor e for receber certificado, providencie sua beca (toga) com a Federação. Se você for amigo ou parente e comparecerá para assistir, o traje é social, também chamado de passeio completo (masculino: terno escuro, gravata, camisa branca ou azul muito clara, sapatos pretos; feminino: conjuntos ou tailleurs, vestidos mais longos, saltos altos e bolsa pequena).

É muito importante que você participe e traga seus familiares e amigos para que percebam a seriedade da carreira que você escolheu. Leia, abaixo, o post sobre a formatura do Paraná e os consulte comentários a respeito do evento.

Parabéns aos instrutores do Paraná! Tive a alegria de participar da solenidade de formatura dos novos instrutores do Método DeRose em Curitiba, com a presença de autoridades, familiares e amigos dos formandos. Foi um lindo evento, coroado com um jantar, no qual tive a oportunidade de conversar bastante com os pais dos alunos, agora instrutores. Foi muito bom conhecê-los e acho que eles sentiram a mesma coisa. Eu ficaria muito contente se as demais Federações seguissem esse bom exemplo e também realizassem as solenidades de formatura em seus respectivos estados.

Márcia Cordoni
marcia_cordoni@hotmail.com | 189.62.43.168

Olá Mestre
Foi muito bom aquele chá na Federação em sua companhia.
Gostaria de pedir prá você postar um recadinho sobre a nossa colação de grau. Há muitos instrutores que ainda não se inscreveram.
Um grande beijo e tenha um lindo dia.
Márcia

Leia mais »

sábado, 24 de janeiro de 2009 | Autor:

Algumas pessoas me perguntam como é que tenho tempo de escrever tantos livros, revisar os livros de vários colegas (alguns estou re-re-revisando há oito anos!), redigir seus prefácios, escrever tantas cartas pessoais enviadas por correio comum, tantos informativos a ponto de os instrutores receberem até dois, três, quatro por semana, preparar contratos e estatutos, participar das reuniões do Conselho, frequentar as reuniões do Rotary, as solenidades da Academia Brasileira de Arte, Cultura e História e outras entidades, entrar oito vezes por dia no blog, viajar tanto, dar cursos e ainda conseguir dormir de vez em quando.

Bem, escrever é uma cachaça. Eu acordo, coloco o grilhão no meu tornozelo e prendo na mesa de trabalho e fico aqui dezesseis horas por dia. Por isso escritor e escravo começam com o mesmo radical em português. Na verdade, “escrever é preciso, viver não é preciso.” [Responda sem consultar o Google: a quem esta sentença está parafraseando? Acho que ninguém vai responder mesmo, pois a outra pergunta como esta que eu fiz num post do dia 21 ficou sem resposta.]

Se você quer vencer em seja lá o que for, esporte, arte, literatura, magistério, Yôga, artes marciais, ballet, piano, o que quer que seja, a dedicação tem que ser nesse nível.

Leia mais »

terça-feira, 16 de dezembro de 2008 | Autor:

Terminei o livro Programa e agora estou finalizando a nova edição do Ser Forte, ao mesmo tempo estou revisando a apostila dos Quadros Sinóticos do DeBona, o livro El éxito organizado, da Gabriela Santemer, o Extrait du Traité de Yôga, mais um terceiro livro do Jojó, estou produzindo uma profusão de informativos, posts no blog e ainda tenho as reuniões do Rotary e solenidades das outras entidades. No meio viajo para dar cursos. Entre uma coisa e outra, participo das reuniões do Conselho Administrativo e recebo alunos e instrutores que viajam a São Paulo. E não posso deixar de dar atenção à minha fada, a Fée. Às vezes, recordo-me das cenas finais do filme Amadeus, em que o Mozart estava trabalhando tanto que se exauriu, definhou e morreu. Mas logo percebo a diferença. Ele não praticava SwáSthya! E trabalhava sob pressão, para pagar dívidas. Eu não tenho dívidas e trabalho por entusiasmo. Pelo sim, pelo não, tenho que aproveitar o pique, pois nunca se sabe quantos anos, décadas ou semanas isso pode continuar. Até agora está durando 49 anos. E agora eu conto com a colaboração de um exército de mais de mil instrutores em vários países e dezenas de milhares de alunos deles que também se sentem motivados e engajados no ideal de participar e de ajudar. É… isso está ficando bom!