quarta-feira, 5 de dezembro de 2012 | Autor:

Prefácio

Um dia deparei-me com uma chocante verdade: nasci no século passado! Está bem, não só eu como todos os habitantes do planeta que nasceram até o raiar do ano 2001. Mas o fato é que mais de 60 anos de vida ensinam muita coisa.

De uns tempos para cá comecei a notar que para tudo sobre o que as pessoas me consultavam eu tinha uma regra ou conselho decorrente de experiências já ocorridas comigo nas mesmas circunstâncias uma porção de vezes. Era como se eu já tivesse visto aquele filme e soubesse exatamente como iria terminar.

Então, comecei a escrever os conselhos ou observações que eu tinha para repartir com quem vinha conversar sobre seus negócios, sua família, sua saúde, sua questões afetivas…

Muitas coisas que a vida me ensinou, já coloquei em outros livros. Assuntos referentes à etiqueta. reuni no livro Boas Maneiras. Palavras que falam ao coração, publiquei no Mensagens. Conselhos sobre casamento escrevi no Alternativas de relacionamento afetivo. Conceitos e técnicas a respeito de sexualidade, editei no livro A sexualidade sacralizada. Reflexões e insights sintetizei no Sútras – máximas de lucidez e êxtase. Temas referentes a uma vida riquíssima de experiências, viagens e fatos que dariam vários filmes, compilei na autobiografia Quando é Preciso Ser forte. Técnicas para maximizar a saúde e o autoconhecimento, reuni no Tratado de Yôga. Mas ainda havia muita coisa para ensinar e que não se encaixava em nenhum dos títulos acima.

Todo esse material eclético, eventualmente engraçado, mas essencialmente escrito para facilitar a sua vida, poupar o seu dinheiro e decepções, salvar seu casamento e suas amizades, evitar acidentes e processos criminais, minimizar a ocorrência de assaltos, furtos e agressões, tudo isso veio para este volume. Se você já nasceu com 50 anos de idade bem vividos e viajados, talvez este livro não tenha muito para lhe ensinar. Mas… vou-lhe confessar uma verdade: até eu preciso lê-lo de vez em quando para não repetir erros cometidos no passado. Afinal, ninguém erraria se ouvisse os próprios conselhos. Dizem que se conselho fosse bom ninguém dava de graça. Então, tudo bem: compre o livro!

A capacidade de autocura do organismo

Uma das coisas que a vida me ensinou foi que o corpo se cura sozinho na maior parte das ocorrências. Corremos para os remédios em busca de apoio e ajuda, mas o organismo, muitas vezes, teria conseguido curar-se sem a necessidade deles. Não estou falando do efeito placebo. Estou me referindo ao processo natural de reação e autocura. A homeopatia diz: Similia similibus curantur. DeRose redargue: Natura naturibus curantur.

Você já notou que algumas pessoas bem idosas declaram que nunca foram ao médico? E outras que vivem tomando remédios continuam doentes e, com frequência morrem cedo?

Certa vez, numa consulta médica, ao ver que os remédios receitados eram meio fortes e muito químicos, perguntei ao clínico se ele não conhecia outro meio de resolver o problema. Ele me disse que sim, tomando chazinhos medicinais da nossa flora, pois fariam o mesmo efeito. Ou, ainda, poderia ir à praia, caminhar a pé, fazer amor, praticar Yôga! Questionei, então, porque havia me receitado toda aquela parafernália química e ele justificou declarando que os pacientes em geral cobram isso do médico e que se o profissional não receitar os produtos da indústria farmacêutica, o cliente acha que trata-se de um mau médico e troca-o por outro que recomende bastante remédio.

Anos depois, minha esposa ficou grávida e passei a ir com ela mensalmente ao ginecologista. Ao longo dos nove meses de gestação, notamos que a qualquer sintoma mencionado pela paciente, o médico dizia:

– Está muito bem.

E não dava nenhuma medicação. No último mês confessei-lhe uma certa perplexidade, pois se o corpo da paciente podia resolver sozinho os problemas que iam surgindo, poderíamos ter economizado nove consultas. A resposta que esse ginecologista me deu foi semelhante à anterior e acrescentou que o organismo se cura sozinho de quase tudo. Mas, quando medicado, o paciente atribui a cura à eficácia do remédio e à competência do médico.

Por outro lado, quanta gente nós conhecemos que à primeira sugestão de que se submeta a uma cirurgia, corre para a sala de operações, especialmente se tem um seguro saúde que cubra tudo. Pergunto ao leitor: como está a saúde dessas pessoas? Está melhor do que a sua ou a minha? Ou está bem pior?

Note bem: não estou condenando as cirurgias ou medicamentos necessários. Procuro apenas salvar a sua vida, propondo que ao invés de levar uma facada na barriga e outra no bolso, você repense cem vezes. Uma cirurgia pode lhe custar muitas dores, pode dar errado e pode resultar em acidentes cirúrgicos, choques anafiláticos, paradas cardíacas, enganos do instrumentador, infecção hospitalar ou até falecimento na mesa de operação. Medicamentos desnecessários podem gerar efeitos colaterais, intoxicações medicamentosas, dependências etc.

Repito para que fique bem claro: se precisar, tomarei remédios e aceitarei a contra-gosto uma cirurgia. Mas antes tentarei tudo o que for possível, começando por uma alimentação tão mais rígida quanto mais radical for a circunstância.

Alimentação saudável, mudança de ares, férias, carinho, sexo, alegria, mudança de profissão, podem salvar a sua vida. Ou podem ampliar expressivamente a sua expectativa de vida. E se nada disso funcionar, pelo menos você terá se divertido bastante e terá sido feliz o tempo de vida que ainda lhe restar.

Basicamente, com relação a este tema, o que a vida me ensinou é que a natureza cura. Só precisa de tempo e de uma ajudinha, reduzindo os estímulos prejudiciais.

Quando você tiver algum problema de saúde, além de consultar o seu médico e mais uma segunda opinião (e uma terceira, quarta, quinquagésima…) é importante consultar também as pessoas que já passaram por problemas semelhantes. É curioso, mas os que sofreram do mesmo mal podem lhe dar dicas que os médicos, incompreensivelmente, ignoram.

Leia mais »

sábado, 4 de junho de 2011 | Autor:

Sábado, dia 4 de junho, às 21 horas, na Sede Central, Alamada Jaú 2000, São Paulo.

Fizemos lançamento no Festival de Florianópolis e esgotamos todos os exemplares que haviam sido enviados para o evento!

Teremos show de coreografias, palestra sobre o Método e o que ele tem a ver com cães, além da noite de autógrafos. Também serão autografados DVDs “Entrevista sobre qualidade de vida” que é extremamente esclarecedor sobre a nossa proposta. O DVD está em uma embalagens elegantérrima, o que o torna um belo presente de aniversário para amigos e parentes. Também é ideal para presentear autoridades e imprensa para esclarê-los sobre quem somos nós e a que nos propomos.

Clique na foto para ampliá-la.

_______________________________

Estou com o meu autografado.
O livro ficou genial… mesmo para quem, como eu, não tem cão, ensina muita coisa sobre comportamento.

Beijos
Daniel Suassuna
Asa Norte – Brasília – DF

sexta-feira, 26 de março de 2010 | Autor:

Mestre,

Acabou de chegar um artigo de um jornal do Paraná que anuncia o lançamento de um novo livro seu em Curitiba.

Aqui vai o link:
http://www.paranashop.com.br/colunas/colunas_n.php?id=23854&op=gente

Bjo
Cirilo, hoje em S. Paulo – Unidade Jardins

________________

Isto é ótimo, Cirilo, para mostrarmos às Assessorias de Imprensa que é perfeitamente possível escrever e publicar boas matérias sem a palavra que estereotipa o nosso trabalho. Obrigado por postar. Um beijão alaranjado com detalhes brancos.

Mas – sempre tem um “mas” – quando muda o paradigma volta tudo a zero. Na hora de publicarem o meu histórico erraram, usando o que cita a palavra mágica ao invés de usar o que não a menciona. Paciência. Vamos aprendendo com os erros. Em função disso, vou publicar novamente o Histórico postado pelo instrutor Daniel Cambria, atualizado.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009 | Autor:

Não é exatamente um livro. Nem tem autor. É o presente de aniversário que os alunos e instrutores se propuseram a me dar no dia 18 de fevereiro, mas que só ficou pronto agora. Tiveram a ideia de reunir em um só lugar, em um só volume, uma quantidade de reportagens e entrevistas realizadas pela Imprensa escrita de vários países, fotografias inéditas de eventos e solenidades relevantes, fotos antigas (mas agora em cores), reprodução de diplomas e certificados e pouco texto, apenas explicativo. O exemplar tem o tamanho A-4 e é todo rodado em quatro cores, papel reciclado, impregnado com perfume. Foram rodados alguns exemplares com capa dura e outros em brochura. Está lindo!

Como foram feitos para presente de aniversário, a verba arrecadada pelos instrutores e alunos que tiveram essa boa iniciativa não foi suficiente para imprimir muitos exemplares. Dessa forma, acredito que a edição será esgotada ainda este mês.

Ao folhear o Histórico e Trajetória, tive a sensação de que ele vai ser muito importante em três frentes:

1 – Mantendo um exemplar na recepção das escolas e outro na sala de convivência dos alunos, para que candidatos e praticantes possam folheá-lo e tomar conhecimento da abrangência do reconhecimento internacional da nossa obra por parte de autoridades, instituições governamentais, filantrópicas, culturais, acadêmicas e outras. Os alunos adoram. Os candidatos passam a contar com mais esse diferencial ao pesar prós e contras no julgamento do nosso trabalho.

2 – Oferecendo um exemplar sempre que algum jornalista procurar a escola para realizar alguma reportagem ou entrevista, mandando entregar a ele o Histórico e Trajetória previamente, antes de agendar dia e hora para concedê-la.

3 – Enviando um exemplar para instituições de ensino, condomínios, academias, clubes e empresas junto com propostas de terceirização, convênios e planejamentos de cursos.

Dessa forma, estaremos esclarecendo de forma elegante quem somos nós, qual é a nossa proposta, de onde viemos, quais as nossas qualificações e realizações anteriores. Como as pessoas sempre gostam de esclarecimentos, esse material será muito bem-vindo. Lembre-se também de que os que declaram que não gostam de nós são quase sempre os que não nos conhecem, nunca leram nosso livro principal, Quando é Preciso Ser Forte, (do tipo “não li e não gostei“), nunca visitaram uma escola nossa e nunca conversaram comigo, pessoalmente. Daí a importância deste novo livro e da entrevista gravada em vídeo pelo jornalista António Mateus, que consta deste blog. Tenho a certeza de que os alunos e leitores saberão sugerir outras boas utilizações para o Histórico e Trajetória, bem como para o vídeo da entrevista.

Leia mais »

sábado, 4 de julho de 2009 | Autor:

Cheguei há pouco da festa junina organizada pela Unidade Alphaville e concluí a revisão da tradução do livro Complementação Pedagógica, da Yael Barcesat. Está minucioso e acho que a preparação dos alunos será muito mais aprofundada agora que temos o Programa do Curso Básico e este livro da Yael que abordam uma programação diferente, mas não conflitante: são complementares.

Leia mais »

segunda-feira, 15 de junho de 2009 | Autor:

Rosângela de Castro está comigo há mais de 30 anos e continua uma jovem adolescente, linda e divertida. Só que agora também acumula um enorme conhecimento advindo dessas décadas de estudo, de viagens, de experiência no magistério da Nossa Cultura e como autora consagrada de livros célebres. Ro começou muito jovem e jovem ainda é. Imagine o que é ter de Método DeRose mais que o dobro do tempo de vida que viveu sem estar imersa na nossa filosofia! É uma pessoa muito importante para mim pela sua lealdade e carinho. Sua risadas animam a vida dos seus amigos e banham-me a alma com a sensação de que tudo valeu a pena. Ro de Castro habita no meu coração já há quase (eu disse quase) quarenta primaveras! E por isso mesmo é uma honra e um orgulho para todos nós, pois muitas meninas de 18 anos gostariam de ter o corpo que ela esculturou durante tanto tempo de SwáSthya. Ro, você hoje é mais jovem do que quando a conheci. E mais bonita. De verdade. Parabéns pelo seu aniversário! E parabéns para o nosso Método, pois você é a prova viva do que ele proporciona ao longo dos anos. Quando crescer, eu quero ser como você.

PS – Estamos todos aguardando seu novo livro.

Leia mais »

sábado, 23 de maio de 2009 | Autor:

Nosso estimado Rodrigo De Bona acaba de publicar o seu livro sobre os quadros sinóticos que sintetizam e resumem praticamente todo o curso básico. Foi editado em português e espanhol, mas já está pronta a versão em francês, inglês, italiano e alemão, para publicar quando houver demanda suficiente para justificar o investimento.

Acredito que o De Bona e o Edgardo vão realizar noites de autógrafo durante o Festival Internacional de Yôga de Florianópolis.

Parabéns aos dois escritores e parabéns à nossa família que está começando a ter expressividade na literatura do Yôga. Já são agora mais de vinte livros de autores nossos, sem contar os meus próprios. Isso me faz feliz e bem orgulhoso.

Aos que ainda não publicaram suas obras, que isto sirva de incentivo.

Leia mais »