quarta-feira, 23 de janeiro de 2013 | Autor:

Juramento do Método DeRose

 

Como praticante do Método DeRose, juro e prometo, pela minha honra e pela minha vida, dedicar todos os meus esforços para tornar-me uma pessoa melhor: um melhor filho, melhor irmão, melhor cônjuge, melhor amigo, melhor cidadão.

Como praticante do Método DeRose, juro e prometo não fazer uso de substâncias intoxicantes, que gerem dependência ou que alterem o estado da consciência, mesmo que tais substâncias sejam naturais, ainda que sejam legais.

Como praticante do Método DeRose, juro e prometo reeducar meus impulsos emocionais, sublimar as emoções e contornar eventuais conflitos, aprimorando assim minhas boas relações humanas no trabalho, nas amizades e na família.

Como praticante do Método DeRose, juro e prometo propugnar pela justiça e pela verdade. Ao ouvir uma acusação ou difamação, juro e prometo advogar em defesa do acusado, seja ele quem for, indefeso por ausência.

Como praticante do Método DeRose, juro e prometo trabalhar com dedicação e afinco, sem esmorecimento, pelo bem-estar, segurança e prosperidade minha e daqueles que dependerem de mim, daqueles que trabalharem comigo e, por extensão, de toda a sociedade.

Como praticante do Método DeRose, juro e prometo ser honesto no meu trabalho e em todas as minhas atitudes, desde as mais insignificantes do dia-a-dia, professando em tudo a seriedade superlativa e uma obstinada honestidade.

Como praticante do Método DeRose, juro e prometo auxiliar os necessitados, propondo ações efetivas que possam melhorar as condições de vida dos meus semelhantes.

Como praticante do Método DeRose, juro e prometo ser leal, apoiar e ajudar os meus companheiros do Método em tudo o que for possível, empenhando-me diligentemente.

Como praticante do Método DeRose, neste ato solene, proclamo o meu compromisso de honrar com amor e dedicação todos os princípios que caracterizam a Nossa Cultura, consubstanciando o valor de cada palavra aqui proferida.

domingo, 23 de dezembro de 2012 | Autor:

Boas Festas!

Um dia interligamos nossos caminhos pelo liame do nosso ideal. Unimo-nos em uma corrente do bem. Ungimo-nos pelas boas obras.

Naquele dia os Anjos regozijaram-se porque mais uma pessoa sensível e consciente decidiu devotar-se à nobre missão de melhorar a Humanidade, ainda que, muitas vezes, com o ônus da própria abnegação.

Por esta época nossa tradição Cristã comemora com presentes a lembrança das oferendas feitas a Jesus pelos Magos do Oriente, conforme está escrito nos Evangelhos (Mateus, 2.1).

Nenhum presente me será mais gratificante do que a perpetuação da sua amizade sincera e o compartilhar constante dessa estima.

Seu amigo, DeRose

terça-feira, 13 de novembro de 2012 | Autor:

“Deveríamos ter duas vidas:
uma para ensaiar e outra para viver.”
Vittorio Gassman

 

Esta edição foi reestruturada ao raiar dos meus 70 anos de idade. Senti que o livro precisava ser praticamente reescrito pelas razões que vou expor neste preâmbulo. Retirei do livro qualquer frase que eu ou meus revisores identificássemos como potencialmente polêmica ou impertinente. A presente declaração é um exercício de humildade que, com a vida, estou aprendendo a cultivar. Espero ser bem-sucedido nessa dura empreitada para que tudo seja justo e perfeito.

Na primeira parte da minha existência tive que lutar bastante para me aprumar, como você vai constatar nas próximas páginas. Eu era muito moço. Comecei a lecionar há mais de meio século, aos 16 anos de idade e passei a maior parte da vida sendo considerado “muito jovem” para desempenhar este instrutorado e as funções a que me propunha. No afã de vencer as resistências, posso ter sido arrogante ou agressivo e talvez tenha ofendido alguém, involuntariamente.

Quero dedicar esta segunda parte da minha existência, os próximos 66 anos, para compensar e corrigir algum mal que eu eventualmente tenha feito. Só não erra quem não faz. Então, certamente errei muito. Pelos meus erros peço a sua indulgência. Se você me conceder uma segunda chance, eu a agarrarei com gratidão e procurarei retribuir da melhor forma possível. Mesmo nesta idade ainda estou disposto a aprender e melhorar. Que este seja o meu pedido de desculpas a você se no passado fui muito intolerante ou se cometi alguma outra falta.

Espero que, com as modificações feitas na obra, esta 42ª. edição seja do seu agrado. Mesmo com a “faxina” que fizemos, sem dúvida, restam muitas passagens que podem ser interpretadas como antipáticas ou ranzinzas. Se, apesar disso, algo aqui escrito ferir as suscetibilidades de alguém, estou aberto às críticas e sugestões para que a próxima edição seja ainda mais aprimorada. Aquele que tiver colaborado com suas críticas tornar-se-á meu parceiro para melhorar o livro e o nosso trabalho.

Obrigado pela compreensão.

 

 

 

 

domingo, 26 de fevereiro de 2012 | Autor:

“Deveríamos ter duas vidas:
uma para ensaiar e outra para viver.”
Vittorio Gassman

Esta edição foi reestruturada em 2010, ao raiar dos meus 66 anos de idade. Senti que o livro precisava ser praticamente reescrito pelas razões que vou expor neste preâmbulo. Retirei do livro qualquer frase que eu ou meus revisores identificássemos como potencialmente polêmica ou impertinente. A presente declaração é um exercício de humildade que, com a vida, estou aprendendo a cultivar. Espero ser bem-sucedido nessa dura empreitada para que tudo seja justo e perfeito.

Na primeira parte da minha existência tive que lutar bastante para me aprumar, como você vai constatar nas próximas páginas. Eu era muito moço. Comecei a lecionar há mais de meio século, aos 16 anos de idade e passei a maior parte da vida sendo considerado “muito jovem” para desempenhar este instrutorado e as funções a que me propunha. No afã de vencer as resistências, posso ter sido arrogante ou agressivo e talvez tenha ofendido alguém, involuntariamente.

Quero dedicar esta segunda parte da minha existência, os próximos 66 anos, para compensar e corrigir algum mal que eu eventualmente tenha feito. Só não erra quem não faz. Então, certamente errei muito. Pelos meus erros peço a sua indulgência. Se você me conceder uma segunda chance, eu a agarrarei com gratidão e procurarei retribuir da melhor forma possível. Mesmo nesta idade ainda estou disposto a aprender e melhorar. Que este seja o meu pedido de desculpas a você se no passado fui muito intolerante ou se cometi alguma outra falta.

Espero que, com as modificações feitas na obra, esta 40ª. edição seja do seu agrado. Mesmo com a “faxina” que fizemos, sem dúvida, restam muitas passagens que podem ser interpretadas como antipáticas ou ranzinzas. Se, apesar disso, algo aqui escrito ferir as suscetibilidades de alguém, estou aberto às críticas e sugestões para que a próxima edição seja ainda mais aprimorada. Aquele que tiver colaborado com suas críticas tornar-se-á meu parceiro para melhorar o livro e o nosso trabalho.

Obrigado pela compreensão.

“Não importa como você começa e sim como você termina.”
Autor desconhecido

terça-feira, 11 de outubro de 2011 | Autor:

Enviado pelo instrutor Fretta:

Percepção, paradigmas e a sorte…

É muito difícil prestar atenção em todas as informações ao nosso redor. Somos bombardeamos com informações o tempo todo, e só vemos, realmente, aquilo que de fato nos interessa.

A mente portanto realiza um processo de foco consciente em determinados aspectos de nossa realidade, mas pode também capturar inconscientemente muitas outras informações.

Infelizmente, muito de nosso sucesso em realizar atividades, desenvolver habilidades e memorizar fatos é realizado no nível consciente, que precisa de foco.

Preste atenção neste vídeo, e observe um grupo de homens e mulheres brincando com uma bola de basquete.

Agora continue a leitura e você ficará surpreendido com este explanação:

No livro A arte da inovação, de Ton Kelley, o autor diz que deveríamos agir todos os dias como se viéssemos de outro país, ou seja, ficarmos atentos ao que acontece ao nosso redor. No dia a dia, costumamos colocar uma espécie de venda nos olhos, e escolher sempre os mesmos caminhos, raramente parando para olhar em volta. Mas com um viajante em um país desconhecido, você vê o mundo com novos olhos, novos paradigmas e aumenta muito a intensidade de suas experiências. Antenado em tudo ao seu redor, você encontra coisas fascinantes a cada esquina.

Mesmo em nossas cidades devemos sempre olhar para as oportunidades ao nosso redor, e isso exige bastante esforço. Temos que nos reeducar, e mesmo assim perdemos informações que estão bem diante do seu nariz.

Se você assistiu o vídeo, poderá saber o número de vezes que o time de camisa branca passou a bola, mas não tem a menor ideia de que uma pessoa vestida de urso passou pela tela andando como se estivesse na lua.

Da próxima vez, que você for a um local bastante conhecido por você, como um shopping do seu bairro, observe os detalhes que normalmente são invisíveis nas lojas ou cafés, percebe os aromas, as texturas das paredes, as cores do ambiente, as maneira como os vendedores abordam seus clientes, você vai ficar impressionado com a quantidade de informação que pode absorver.

Que tal, fazer isto, observar mais os detalhes ao seu redor para melhorar a decoração da sua Unidade, ou da sua casa?Desenvolvendo várias percepções olfativas, sonoras e visuais, para que as pessoas tenham experiência indescritíveis junto à você.

Oi ainda, estando mais apto as oportunidades que estão estão o tempo todos nos rodeando.

Tina Seelig, em seu livro: Se eu soubesse aos 20…. tem um conceito para sorte que eu concordei plenamente: o que ela chama de sorte é o fato de que, se as pessoas estiveram mais ligadas nas situações cotidianas, podem tirar vantagem das oportunidades do acaso. Em vez de se guiarem por uma linha reta, prestam atenção no que acontece ao seu redor, tirando maior proveito das circunstâncias.

Segundo a autora, pessoas de sorte são também as mais flexíveis e abertas a novas possibilidades e sempre se dispõe a fazer coisas novas.

Pessoas de sorte também custumam ser otimistas e esperar sempre o melhor de tudo, o que faz com que a profecia se torne autorrealizável, porque, mesmo quando as coisas não acontecem como esperado, pessoas com sorte encontram alguma maneira de extrair algo de positivo daquilo, mesmo nas piores situações.

Resumindo, ser observador, amigável, otimista e ter a mente aberta atrai a sorte.

Para mim, nada melhor do que o esforço, para atrair a sorte, quanto mais eu me esforço, mais eu tenho sorte…

Ou ainda, uma das minhas frases favoritas: “Sorte é o acontece quando a competência encontra a oportunidade”. Não sei o autor, você lembra?

Beijos do Fretta

quarta-feira, 21 de setembro de 2011 | Autor:

Dias 22 e 23 de outubro.
Taxa especial até o dia 30 de setembro para as Unidades que estão em dia com o FDI .

Só para aqueles profissionais que antigamente se chamavam de instrutores e agora são “Formadores de Formadores”.

Vamos nos aprimorar no nosso ofício, melhorar nossa atuação em sala de aula e fora dela, superar-nos em administração, dar um salto em técnica, conceito, pedagogia, ética e conquistar a excelência profissional.

A programação está incrível! Ninguém deve perder. Quem for monitor, traga seus monitorados; quem for Diretor, traga sua equipe; que for instrutor, traga seus colegas. Ganhe pontos de conceito com o DeRose e com a sua Federação, participando e trazendo os seus.

sexta-feira, 17 de junho de 2011 | Autor:

Bom dia, Mestre!

Hoje pela manhã fiquei emocionada quando recebi um e-mail que contava esta história:

Num zoológico na Califórnia a mãe tigresa depois de se recuperar do parto, começou a piorar seu estado de saúde, mesmo que fisicamente ela estivesse bem. Os veterinários sentiram que a perda da cria causou uma profunda depressão na tigresa.
Os médicos decidiram que se a tigresa adotasse a cria de uma outra mãe, talvez melhoraria.
Após checar com vários zoológicos pelo país, tiveram a triste notícia de que não havia nenhuma cria de órfãos tigrinhos na mesma idade para levar para a mãe tigresa.
Os veterinários então decidiram tentar algo que nunca teria sido tentado antes em um zoológico: as vezes a mãe de uma espécie cuida dos filhotes de uma diferente espécie.
Os únicos órfãos que puderam ser encontrados rapidamente foram as crias de uma porquinha. Os funcionários do zoológico e os veterinários “revestiram” os porquinhos numa imitação de pele de tigre e os colocaram perto da mãe tigresa.

“Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele ou por sua origem, ou sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender. E se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar, pois o amor chega mais naturalmente ao coração humano do que o seu oposto.” (Mandela)

Um beijo e uma feliz segunda-feira!

Lu

Unidade Centro Cívico – Curitiba – PR
http://www.derosecentrocivico.org

Clique na imagem para ampliá-la.

Equipe de Desenvolvimento:

Daniel Cambría   |   Coordenação Geral https://www.facebook.com/danielcambria

Tiago Pimentel   |   Layout & Identidade Visual https://www.facebook.com/tiagopimentel https://www.flickr.com/designinabox

Alex William   |   Programação Visual (Front End) https://www.facebook.com/alex.brasileiro https://www.artinblog.com

Douglas Gonzalez   |   Programação Back End https://www.facebook.com/douglas.s.gonzalez

Visite o Office em facebook.com/officemetododerose