terça-feira, 30 de agosto de 2011 | Autor:
Agora o convite com o texto em francês também ;) . Obrigadaaaaaaaaaaa. Vamos tornar esse dia inesquecível para vc e todos os que participarem muaaaaaah.Un jour en compagnie de DeRose à Paris….un programme dont le soin est le détail, l’attention porté aux participants, la qualité des conférences, pour que cette journée soit inoubliable pour vous !

 

 

 

Oi Mestre,
Segue o convite e programação do evento em Paris, enviado pela Soninha Saraiva.
Beijão!

2011-08-31%20at%2012:39.png

2011-08-31%20at%2012:38.png

 

Estão convidados nossos alunos de todas as unidades da Europa (Portugal, Espanha, Itália, França, Inglaterra, Escócia, Luxemburgo, Suíça etc.), Brasil, Argentina, Chile, Estados Unidos (e Havaí) e todas as demais que estiverem certificadas ou mesmo credenciadas. Esta atividade cultural não permite acesso aos alunos de unidades agregadas.

________________________

 

O nosso dia com o Mestre, na Unidade Flamboyant, aconteceu domingo passado (28/08), o primeiro aqui no Brasil; foi um sucesso! Recomendo a todos que participem em Paris ou em qualquer outro lugar. É marcante. Um privilégio poder viver essa experiência. Amei!

Beijos cheios de bháva.

Lêda Santos.

quinta-feira, 19 de maio de 2011 | Autor:

Se você tem como nos proporcionar esse sêvá, vai contribuir decisivamente para a difusão do Método em todo o mundo. Mas é preciso que o tradutor seja nativo da Inglaterra ou dos Estados Unidos e que compreenda a língua portuguesa bastante bem. Em hipótese alguma pode ser de outra nacionalidade, ainda que tenha sido educado naqueles países ou que traduza muito bem. É requisito, ainda, que o tradutor possua um vocabulário no inglês que corresponda ao patamar linguístico utilizado em português.

Eu me proponho a auxiliar em tudo o que puder, já que este autor ainda está vivo e conhece o idioma inglês – mas, obviamente, não o suficiente para realizar uma tradução com o nível de impecabilidade que se faz necessário.

Desde já, agradecemos, todos nós, instrutores e alunos do UK, USA e de todo o mundo.

segunda-feira, 18 de abril de 2011 | Autor:

Sei que é suposto não ser correto chamar “América” aos Estados Unidos. Na escola te ensinam que chamar de “América” aos Estados Unidos é ofensivo para todos os outros países da América do Norte, América Central e América do Sul porque então, onde ficam todos esses países?

Porém, estou pouco ligando se a Venezuela ou qualquer outro país se desgosta. Somos os estados que decidiram unir-se para ser o melhor país do mundo e somos o único ao qual ocorreu incluir “América” em seu nome. O Brasil não se chama “Brasil da América”. Assim, temos todo o direito a chamar-nos “América” […]

Andy Warhol, America, New York, Harper & Row Publisher, 1985, p.8, citado no programa da mostra Mr. América, do MALBA, de Buenos Aires, Argentina.

Não é à toa que seu sobrenome começa com War (guerra).

Mas como denominaríamos os habitantes da terra de Tio Sam de forma politicamente correta? Yankees, não. Pode ter conotação indesejável. Norte-americanos, jamais! Afinal, os canadenses e os mexicanos não são norte-americanos? O nome é estadunidense ou estado-unidense. É o que consta nos dicionários de português e de espanhol. Mas e em inglês, como diríamos estadunidense? Proponho USman, ou unitedstatesman. Em francês, étasunien/étasunienne. Está lá no Petit Robert. Então por que na França também chamam nossos estimados irmãos do Norte pelo termo genérico américain/américaine que engloba os canadenses, os mexicanos e todas as demais nacionalidades da América Central e da América do Sul?

Cabe aqui um aparte para informar que nutrimos um sincero carinho e admiração pelos Estados Unidos. A grande maioria dos USmen and USwomen que tive a satisfação de conhecer sempre se mostraram como pessoas maravilhosas, dignas de todo o nosso respeito e consideração.

Já começa que o nome United States of America está errado. Deveria ser United States of Americ. Afinal, a terminação com a ou com o denota raízes latinas. America não casa com United States. Seria como agarrar nomes ingleses e colocar um o no final: Patricko, Richardo, Johnno, Charlo. No entanto, Fernando, Guillermo, Edgardo, Carlo são nomes cuja terminação está perfeitamente coerente com suas raízes italianas, portuguesas ou espanholas.

A bem da justiça, o continente nem deveria se denominar América. Recebeu esse nome em homenagem a Américo Vespúcio. Mas o vetusto Vespúcio só trouxe cá o seu prepúcio muito depois de Cristóvão Colombo. Então, seria mais justo que nosso continente se denominasse Colômbia. Oops! Não. É melhor deixar como está.

Mas, já que estamos com a mão na massa, você sabe por que se denomina América Latina à América Maior, aquela que vai da Patagônia à fronteira do México com os Estados Unidos? Foi Napoleão III que criou essa denominação para que não fosse mais denominada América Hispânica, a fim de implicar com a Espanha. Afinal, o mais elegante e culto bairro de Paris é o Quartier Latin (o quarteirão latino). Aplausos para Napoleão III, pois se ficássemos conhecidos como América Hispânica, nós brasileiros, que não somos hispânicos, teríamos mais uma razão para protestar.

_________________

O nome dos States deveria ser Colúmbia pois o nome da capital deles é Washington D.C. que significa Distrito de Colúmbia. (Enviado por Paulo Bianchi)

segunda-feira, 7 de março de 2011 | Autor:

Dear Professor DeRose, I would like to share with you and our family the video with the pictures of our fantastic DeRose Culture Hawai’i 2011.

It’s a privilege to be with you specially during these moments.Thank you for the workshop, it was just fantastic.

 

 

It seems that the other video is not playing properly due to its soundtrack, so I edited with a mantra from Sankalpa. Hope this one to work better.
(Parece que o outro vídeo não está tocando devido à trilha sonora escolhida, então editei com um mantra do Sankalpa. Espero que este funcione.)

Instructor Rob LanghammerDeRose Method SoHoNew York

sábado, 5 de março de 2011 | Autor:

Com a presença de vários instrutores do Método DeRose dos Estados Unidos (New York, San Diego e Hawai’i), um grande número de instrutores de São Paulo e um nobre representante de Florianópolis, além da participação de alunos locais, procedemos a uma bonita abertura do DeRose Culture Hawai’i 2011. Brevemente, os colegas que tiraram fotos hão de postá-las aqui para deleite dos que não vieram.

Nossa Cultura está crescendo e se expandindo pelo mundo afora. Já temos uma instrutora em Luxembourg, outra na Indonésia, instrutores chegando a Madri, projetos para a Alemanha, além da consolidação das escolas e aumento do número de instrutores na Argentina, Inglaterra, França, Escócia, Itália, Portugal, Espanha e Estados Unidos. O Chile se mantém estável. Outros países da América do Sul e Central estão se agregando. Essa é uma grande oportunidade para jovens brasileiros, argentinos e portugueses (os três países que hoje detêm o melhor know-how) viajarem e conquistarem o mundo. Você que é jovem, junte-se a nós e venha tornar-se instrutor do Método DeRose para fortalecer nossas escolas nos diversos países e ser uma das colunas responsáveis pela transformação do mundo em que vivemos!

terça-feira, 2 de junho de 2009 | Autor:

lelia

Querido Maestro De Rose:

Muchisimas Gracias por el apoyo, la difusion emitida en Uni-Yoga y su Blog, y todos los materiales que hemos recibido en nuestra unidad.

Tanto aprecio por la generosidad!

Adoramos la presencia y participacion de Marisol y Fee como otras tantas visitas que hemos recibido a lo largo del ano.
Las puertas de nuestras casas estan abiertas e invitamos a participar de las actividades y eventos de nuestra escuela en la esta Gran Manzana que es Manhattan..
eso si…eh… vengan a New York bien descanzados y llenos de fuerza… por que desde aqui no se para…:-)! hay mucho para ver, disfrutar, aprender y difundir!!!

Un carinoso abrazo desde mi corazon,

Lelia Stina.

quarta-feira, 29 de abril de 2009 | Autor:

A escola do Zé e da Filipa é muito simpática e seus alunos são uma graça, muito queridos. Havia gente da Itália, Espanha, Bielo-Rússia, Estados Unidos, Brasil, Portugal, Hungria e mais alguns países. Bem participantes, mantiveram duas horas e meia de conversa animada, interessada e culta. Depois, uma comidinha bem ao nosso estilo. Parabéns aos colegas dessa segunda unidade de Paris.