domingo, 20 de junho de 2010 | Autor:

Tenho receio de elogiar demais e acabar estragando o colega. Mas, por outro lado, acho que o Suassuna não deixará isso subir à cabeça e não me decepcionará pelo fato de eu fazer questão de reconhecer o seu progresso. Dani é o atual Diretor da Unidade Asa Norte, de propriedade da Presidente da Federação do Distrito Federal, Maria Teresa Milanez.

Eu havia pedido aos meus companheiros de São Paulo que fizessem uma embalagem em formato de envelope, por ser mais econômica (porém linda e chique!) e assim podermos fornecer esse material de esclarecimento a custo mais acessível – sem abrir mão da qualidade –  a fim de que todos pudessem adquirir muitos DVDs da entrevista para dar de presente a todo o mundo: parentes, amigos, desamigos, imprensa, colegas de trabalho etc. Também, por ser uma embalagem menor e mais estreita, seria fácil dar a alguém que comodamente a colocaria no bolso. Ou para enviar pelo correio seria só colocar dentro de um envelope postal e remeter.

Não consegui. O projeto derivou e acabou bem diferente do que eu tinha em mente, o que me entristeceu e deu prejuízo, pois não aceitei como ficou e tive que tirar da filiação e mandar jogar tudo fora. Mil embalagens para o lixo. É assim que precisamos ter a coragem de agir. Não abramos mais concessões a projetos que não estejam rigorosamente dentro dos padrões de estética e qualidade dignos da nossa marca. No passado, o estribilho era: “Ah! Aprovemos assim mesmo, só desta vez. Na próxima faremos melhor.” Era um pretexto para aceitar o insatisfatório, eternamente, “só desta vez“.

Que os colegas se espelhem no exemplo que estou dando, primeiro, de mea culpa. O projeto não ter saído bom não foi culpa de ninguém. A equipe que trabalhou na embalagem do DVD é motivada, engajada e competente. Faz tudo para me agradar. A falha foi minha, quando fui cedendo e deixando que o projeto se afastasse do que eu realmente desejava. E, segundo, que sigam o exemplo de assumir o prejuízo e ter a coragem de jogar tudo fora. Nossa marca só pode aceitar o melhor design, o melhor material, o melhor acabamento, o melhor conteúdo, a melhor embalagem.

No entanto… surpresa! Quando cheguei a Brasília, Suassuna me mostrou um “envelope” que ele havia criado para fornecer cópias do DVD, as quais mandara executar para dar de brinde a todos os alunos de TODAS as unidades da Federação. Era exatamente esse “envelope” o que eu tinha em mente – só que este de Brasília é o projeto melhorado! Isso demonstra a identificação com o Mestre. Eu mentalizei em São Paulo, ele realizou em Brasília. E isso, sem que tivéssemos conversado a respeito. O projeto foi tão criativo que a montagem do “envelope” do DVD não leva cola. É todo encaixado. Uma obra de arte. Estou levando um exemplar para mostrar ao nosso pessoal de São Paulo a fim de copiar a boa ideia.

Isso não quer dizer que está perfeito. Há ainda algumas falhas no projeto, por exemplo, o fecho não impede que o DVD escorregue para fora; ou a presença de termos sânscritos no mesmo impresso em que fez constar o logo do Método. No futuro, sinto que poderemos voltar a mencionar o sânscrito, mas neste momento estamos evitando aplicá-lo associado ao Método, exatamente para quebrar o paradigma e não dar margem a estereótipos. Quando se tratar de texto de Yôga, não tem problema algum em utilizar o sânscrito, mas então não faremos constar o logo do Método, como já foi explicado aqui no blog. A parte de impressão, nós faremos diferente. Mas a iniciativa foi louvável, criativa e identificada com as nossas diretrizes. Especialmente, ao investir no brinde com que presenteou todos os alunos de TODAS as unidades de Brasília e Goiânia, assumindo prazerosamente esse custo. Parabéns!