sexta-feira, 2 de janeiro de 2009 | Autor:

No Brasil, é melhor escrever junto; na França, o certo é separado. Nos Estados Unidos, é junto; na Itália, é separado. A forma original e correta é escrever separado. Nos países de língua inglesa ou influenciados por eles devemos escrever tudo junto, com D e R maiúsculos, porque nesses países as pessoas não sabem que o De deve ter inicial maiúscula e que faz parte do nome. É o caso dos nomes DeSica, DeNiro, DeGaule. Naqueles países, se DeNiro tivesse seu nome escrito separadamente (como deve ser), todos o chamariam de “Mister Niro”. Imagine a gafe de chamar “General Gaule” ao General De Gaule! Isso ocorreu, por exemplo, quando Ravi Shankar escreveu a mensagem elogiando o nosso trabalho em 1969, na qual ele escreveu “Prof. Rose”, porque o nome estava escrito separadamente e é mais educado tratar as pessoas pelo último sobrenome. Assim, ele foi polido ao fazê-lo. Esse foi, também, o caso de Beethoven, que teve o seu nome celebrizado sem o Van. O correto seria chamá-lo Van Beethoven, assim como chamamos Van Lysebeth ao Presidente da Federação Belga de Yôga, recentemente falecido; e Von Hartenthal, àquele promissor profissional de Yôga de ascendência na nobreza alemã. Mas as pessoas, em geral, não sabem que o Van, do holandês, e o Von, do alemão, equivalem ao De, do francês e do italiano. Também por isso, MacDonald é escrito desta forma nos Estados Unidos e a Macintosh desistiu de manter o I maiúsculo, como esse nome é escrito originalmente e corretamente. Mac significa “filho”. O sobrenome Mac Intosh indica que a pessoa pertence ao clã dos Intosh, da Escócia.

Assim, na Inglaterra, Estados Unidos, Brasil e América Latina em geral, escrevo DeRose (junto). Na França, Itália, Bélgica, Suíça e Canadá, escrevo De Rose (separado).