domingo, 17 de fevereiro de 2019 | Autor:

As filosofias indianas mais conhecidas são do tronco medieval (espiritualista e restritivo). Uma característica dessa linhagem é o esforço para aniquilar o ego. Isso confunde muito os nossos praticantes (e até instrutores), pois esse conceito está muito difundido na Índia de hoje e na literatura que proveio de lá. Nossos estudantes travam contato, de alguma maneira, com a bibliografia que prega a aniquilação do ego e barafundam-na com as propostas do DeRose Method.

Quando alguém nos desagrada, a atitude mais primária é querer livrar-nos da pessoa, ao invés de administrar o relacionamento e torná-lo produtivo. Quando um animal é indomável, a solução primitiva é castrá-lo. Assim fazem as correntes medievais com o ego.

Nossa linhagem, tem outra opinião. Nós entendemos que o ego é uma ferramenta importante do ser humano. Não queremos acabar com o ego. Ao contrário. Nosso Método de trabalho atua no sentido de reforçar o ego para poder utilizar sua colossal força de realização.

Anular o ego seria como castrar um animal de montaria e depois utilizá-lo, caminhando cabisbaixo, sem libido. Trabalhar o ego equivale a domar e montar um macho andaluz “inteiro”, fogoso, orgulhoso, com sua cabeça erguida e suas passadas viris. Sua montaria é o ego. Você prefere montar um pangaré derrotado ou um elegante garanhão?

Castrar o ego seria fácil demais. Domá-lo[1], isso sim é uma empreitada que requer coragem e muita disciplina. Adestrá-lo denota coragem e disposição para a luta.

O DeRose Method, não propõe que você seja castrado. Ele reforça sua libido e o seu ego. Em seguida, canaliza essa força resultante para fins construtivos. Ter ego não é o problema. Tê-lo deseducado, selvagem, incivilizado, criador de casos e de conflitos com as outras pessoas, esse é o grande inconveniente que poderá destruir a sua carreira profissional, seu relacionamento afetivo e as suas amizades.

Portanto, no lugar de envidar esforços para destruir, vamos investir em algo construtivo. Nada de destruir o ego. Vamos cultivá-lo, com disciplina e a noção realista de que precisamos dele para a nossa realização pessoal, profissional e evolutiva.

No DeRose Methodqueremos gente forte, com um ego poderoso, mas educado.


[1] Domar, no sentido aplicado pelo Monty Roberts Method – https://www.montyroberts.com/tag/training-methods/


Categoria: Diversos