quarta-feira, 7 de dezembro de 2016 | Autor:

A Jaya, minha weimaraner vegetariana, obedece a comandos de:

1. Senta;
2. Dá a patinha;
3. A outra patinha;
4. Deita;
5. Fica;
6. Em pé (para ficar em duas patas);
7. Vai lá (para ir aonde eu estiver apontando);
8. Ali (para procurar alguma coisa aonde eu estiver apontando);
9. Aqui (para ela se colocar ao meu lado, no lugar em que estiver sendo apontado);
10. Junto (para vir para perto, quando estiver andando solta na rua);
11. Vem (para que ela venha correndo para onde nós estivermos);
12. Cama da Jaya (para ir deitar-se na caminha dela);
13. Entra (para entrar no automóvel);
14. Sai (para sair de onde quer que esteja);
15. Lá fora (para ir comer ou brincar fora do quarto);
16. Para trás (para ficar atrás no elevador ou no automóvel – este último ela não gosta de obedecer!);
17. Pra casa (para voltar à casa);
18. Comer (para só pegar o alimento quando ouvir este comando);
19. Acabou (para que ela não peça mais comida ou petiscos);
20. Vai com a Fée (para ir com a Fernanda);
21. O mesmo comando com o nome de várias pessoas e diversos cães – os cães são: Mauai, Wilson, Sampa, Fred – com quem ela gosta de brincar);

22. Cadê a Fée? (para procurar a Fernanda);
23. O mesmo comando com o nome de várias pessoas e cães;
24. Vai chamar o De (para ir chamar o DeRose);
25. A Jaya fica (para quando estivermos saindo e ela se dirigir para a porta da rua, pensando que vai sair também);
26. A Jaya fica com a Fée (para que ela saiba que não vai sair e se dirija aonde a Fée estiver);
27. Traz o toy (para trazer o brinquedo);
28. Traz a cama (para trazer sua manta de dormir);
29. Traz a guia (para trazer a trela);
30. Leva para ele (para levar um objeto a quem estivermos apontando);
31. Leva para o Fulano (para levar um objeto a alguém cujo nome ela conheça);
32. Olha o carro (para prestar atenção quando um veículo se aproxima);
33. Desce (para descer do sofá, cama ou qualquer outro lugar);
34. Dá licença (para que ela saia da frente);
35. Abra a porta (para que ela use a patinha para puxar a maçaneta e abrir a porta);
36. Yôga (para espreguiçar);
37. Luz (para acender ou apagar a luz no interruptor);
38. Fala (para resmungar);
39. Espirra (para espirrar);
40. Não (para interromper qualquer coisa que esteja fazendo);
41. Shh-shh (para parar qualquer coisa que ela esteja pretendendo começar);
42. Ei! (para indicar desaprovação moderada);
43. Carinho (para ela colocar a cabeça nos meus joelhos e receber uma coçadinha);
44. Beijinho (para aproximar o seu focinho do meu nariz, mas sem lamber);
45. Aus (para soltar o que tiver na boca);
46. Amigo (para ela se aproximar de alguém na rua);
47. Troque as sobrancelhas (para levantar uma sobrancelha e baixar a outra);
48. Seu lugar (para ficar aos pés da nossa cama);
49. Comando de ataque (para nos defender, se isso for preciso);
50. Dá descarga (para ela acionar a descarga depois de fazer suas necessidades no banheirinho que mandei construir para ela ao lado da minha sala). Este ela não aprendeu porque é muito forte e quebrou a torneira com a pata.

E gestos:
51. A mão espalmada, para que pare ou que fique;
52. O gesto de “vem” para que venha para perto ou para que atravesse a rua na minha direção;
53. A mão estendida na sua direção, um pouco acima da cabeça, para que se sente;
54. A mão baixando na direção do solo, para que se deite;
55. A mão elevada bem acima da cabeça, para que fique em pé, nas duas patas;
56. O dedo indicador apontando, para que vá naquela direção;
57. A mão fazendo um gesto de “prá lá”, para que ela ande para trás;
58. As mãos abertas, para sinalizar que acabou a comida ou o petisco;
59. Batendo ambas as mãos no peito, para que ela se eleve e nos abrace com as patas dianteiras;
60. Sinal de negação com o dedo indicador oscilando, para que não faça algo;
61. Sinal de silêncio, com o dedo indicador diante dos lábios, para que não faça nenhum ruído.

Jaya obedece até a comando de olhar. Como já disse anteriormente, quando está deitada na nossa cama, se olho para ela durante alguns segundos, sem desviar o olhar, ela se levanta e desce. Algumas coisas que ela esteja fazendo, ou que já tenha feito, se eu olho nos seus olhos por alguns segundos (sem falar nada), ela entende como desaprovação.
Para sentar-se, olho nos olhos e levanto as sobrancelhas.
Para sair da cozinha, faço um gesto com a cabeça na direção em que quero que ela vá.


Categoria: Anjos Peludos

Equipe de Desenvolvimento:

Daniel Cambría   |   Coordenação Geral https://www.facebook.com/danielcambria

Tiago Pimentel   |   Layout & Identidade Visual https://www.facebook.com/tiagopimentel https://www.flickr.com/designinabox

Alex William   |   Programação Visual (Front End) https://www.facebook.com/alex.brasileiro https://www.artinblog.com

Douglas Gonzalez   |   Programação Back End https://www.facebook.com/douglas.s.gonzalez

Visite o Office em facebook.com/officemetododerose