sábado, 31 de Março de 2012 | Autor:

 A codificação das regras gerais de execução

Uma das mais notáveis contribuições históricas da nossa sistematização foi o advento das regras gerais, as quais não são encontradas em nenhum outro tipo de Yôga… a menos que venham a ser incorporadas a partir de agora, por influência do SwáSthya Yôga. Já temos testemunhado exemplos dessa tendência em aulas e textos de vários tipos de Yôga em diferentes países, após o contacto com o SwáSthya.

É fácil constatar que as regras e demais características do nosso mé­todo não eram conhecidas nem utilizadas anteriormente: basta consul­tar os livros das várias modalidades de Yôga publicados antes da codi­ficação do SwáSthya. Em nenhum deles, vai ser encontrada referência alguma às regras gerais de execução.

Leia mais »

segunda-feira, 2 de Janeiro de 2012 | Autor:

Foi-me perguntado se há algum motivo para não divulgar que só ministro aulas gratúitas e que o faço há mais de vinte anos. Na verdade, não há nenhuma razão. Só não nos ocorrera motivo para divulgá-lo. Mas, para mero registro, fica a informação de que há mais de duas décadas só ministro uma aula por semana. Essa aula sempre foi gratuita, portanto, todas as aulas que ministrei nos últimos vinte e poucos anos foram sem ônus para os interessados. Esse dado é interessante como demonstração de que não trabalhamos visando dinheiro. Talvez por isso, tenha sido solicitado que divulgássemos a presente informação, em benefício de todos.

Com o tempo, a maior parte dos interessados nessas aulas veio a ser constituída pelos próprios instrutores, a quem demos prioridade nas vagas. Hoje, temos um salão com setenta lugares sempre lotados e 95% das vagas são ocupadas por instrutores que acorrem de diversas cidades.

Única exceção: de uns tempos para cá, comecei a ministrar também uma prática avançada, uma vez por mês, em turma exclusiva para instrutores formados. Esse sádhana é a única aula regular que tem um fee. Como se trata de uma turma fechada, só para instrutores formados, não é aberta ao público.

Fora as aulas, tenho a satisfação de ministrar os cursos nos fins-de-semana, cada vez em uma cidade ou país diferente e esses sim, precisam de uma taxa de inscrição que cubra as despesas com deslocamentos aéreos, hotéis, alimentação etc, que pague a instalação em uma sala da Universidade Federal, Estadual ou Católica e que remunere os organizadores.

Não temos nada contra o dinheiro, mas a vida me ensinou que há valores e satisfações mais importantes do que o nobre metal. Por isso, disponibilizo vários livros meus para free download (gratuito) no nosso site. Por isso, permito que assistam gratuitamente minhas webclasses na internet, mais de 60 vídeo-aulas, sem pagar nada. Por isso, damos as aulas gratuitas em parques, jardins e praias de várias cidades e de vários países (consulte o post Aulas gratuitas do Método DeRose em parques e jardins). E pelo mesmo motivo, nossos instrutores interrompem o trabalho que lhes dá o ganha-pão a fim de dedicar seu tempo a ações de responsabilidade social e humanitária. E, ainda, nosso site divulga gratuitamente os endereços de mais de mil concorrentes de outras linhas. Creio que somos os únicos na nossa área a proporcionar tudo isso desinteressadamente à população.

______________

[O acento em “gratúitas” não existe, mas coloquei-o assim mesmo para alertar algumas pessoas que proncunciam mal, “gratuítas” (na verdade, muita gente). Inclusive, alguém já escreveu aqui no blog com acento no i. Quanto mais corretamente conseguirmos falar e escrever, mais credibilidade terá a nossa proposta.]

Leia mais »

sábado, 25 de junho de 2011 | Autor:

Um vez por ano (só uma vez por ano) eu ministro uma prática bem forte de viparita ashtánga sádhana à qual só podem se inscrever os instrutores formados, revalidados, quites com a supervisão e monitoria, e que estejam vinculados a alguma unidade filiada em qualquer categoria.

Imagine você participando da única prática de viparita ashtánga sádhana ministrada no ano, ao lado de uma centena dos melhores instrutores (porque os melhores e mais engajados são os que fazem questão de não perder essa prática)!

No ano passado ficou muita gente de fora porque deixou para se inscrever no dia seguinte… e já não havia vagas.

Este ano, seja precavido e confirme a sua inscrição JÁ!

terça-feira, 29 de Março de 2011 | Autor:

Mestre, como vai? Muito bom te reencontrar no fim de semana. Envio abaixo um texto bem interessante, do Hunter S. Thompson – um malucão que, como muitos dos malucões, tinha boas idéias. Me fez pensar, e me lembrei do relato do Prof. Gustavo Cardoso.
Beijos, e até o sádhana!

“Security … what does this word mean in relation to life as we know it today? For the most part, it means safety and freedom from worry. It is said to be the end that all men strive for; but is security a utopian goal or is it another word for rut?

Let us visualize the secure man; and by this term, I mean a man who has settled for financial and personal security for his goal in life. In general, he is a man who has pushed ambition and initiative aside and settled down, so to speak, in a boring, but safe and comfortable rut for the rest of his life. His future is but an extension of his present, and he accepts it as such with a complacent shrug of his shoulders. His ideas and ideals are those of society in general and he is accepted as a respectable, but average and prosaic man. But is he a man? has he any self-respect or pride in himself? How could he, when he has risked nothing and gained nothing? What does he think when he sees his youthful dreams of adventure, accomplishment, travel and romance buried under the cloak of conformity? How does he feel when he realizes that he has barely tasted the meal of life; when he sees the prison he has made for himself in pursuit of the almighty dollar? If he thinks this is all well and good, fine, but think of the tragedy of a man who has sacrificed his freedom on the altar of security, and wishes he could turn back the hands of time. A man is to be pitied who lacked the courage to accept the challenge of freedom and depart from the cushion of security and see life as it is instead of living it second-hand. Life has by-passed this man and he has watched from a secure place, afraid to seek anything better What has he done except to sit and wait for the tomorrow which never comes?

Turn back the pages of history and see the men who have shaped the destiny of the world. Security was never theirs, but they lived rather than existed. Where would the world be if all men had sought security and not taken risks or gambled with their lives on the chance that, if they won, life would be different and richer? It is from the bystanders (who are in the vast majority) that we receive the propaganda that life is not worth living, that life is drudgery, that the ambitions of youth must he laid aside for a life which is but a painful wait for death. These are the ones who squeeze what excitement they can from life out of the imaginations and experiences of others through books and movies. These are the insignificant and forgotten men who preach conformity because it is all they know. These are the men who dream at night of what could have been, but who wake at dawn to take their places at the now-familiar rut and to merely exist through another day. For them, the romance of life is long dead and they are forced to go through the years on a treadmill, cursing their existence, yet afraid to die because of the unknown which faces them after death. They lacked the only true courage: the kind which enables men to face the unknown regardless of the consequences.

As an afterthought, it seems hardly proper to write of life without once mentioning happiness; so we shall let the reader answer this question for himself: who is the happier man, he who has braved the storm of life and lived or he who has stayed securely on shore and merely existed?”

Hunter S. Thompson (1955)

terça-feira, 1 de Março de 2011 | Autor:

Entenda que não estamos propondo trocar o nome do produto cultural com que trabalhamos. Chamar de Método DeRose, mas continuar apenas dando classes de ashtánga sádhana terças e quintas das seis às sete, isso não é ensinar o Método. Isso é ensinar SwáSthya. O que caracteriza o Método DeRose é a ênfase nos conceitos comportamentais transmitidos pelo exemplo e aplicados na vida real. Para tanto, é preciso incrementar as atividades culturais dentro e fora da escola, a fim de que os alunos possam conviver com os mais antigos já identificados com o nosso modus vivendi e, dessa forma, assimilar uma Cultura.

O Método DeRose não é o SwáSthya com outro nome. Método DeRose uma urdidura de técnicas e conceitos, da qual os conceitos são muito mais relevantes.

CONCEITOS

Os conceitos são subjetivos e não devem ser assimilados por doutrinação. Eles são transmitidos pelo exemplo, através da convivência e de atividades culturais, tais como:

Atividades na escola:

noite de cine (exibição de filmes que tenham uma mensagem, mas que sejam muito interessantes – recomendamos principalmente as comédias);

círculo de leitura;

gourmet (reuniões de degustação, incluindo a elaboração conjunta dos pratos que têm o sabor da nossa Cultura);

círculos de mentalização (para a criação ou reforço de arquétipos);

sat sanga (grupos festivos);

cursos na escola;

conversas do Sistematizador com os alunos.

Atividades externas:

jantares em pizzarias, lanchonetes, churrascarias e restaurantes finos para ensinar o que nós comemos e que podemos encontrar nossas preferências em praticamente qualquer lugar;

saídas com os alunos para concertos, vernissages, inaugurações, lançamentos de livros, teatro e cinema;

ações voluntárias em comunidades carentes;

cursos noutras escolas da rede;

passeios com cães em parques;

caminhadas;

praia;

viagens;

solenidades;

festivais e outros eventos culturais.

Mas os conceitos estão registrados em algum lugar para servir de orientação?

Sim, eles estão ensinados nos livros:

Eu me lembro…

Método de Boas Maneiras

Método de Alimentação Inteligente

Método de Educação para Cães (e Humanos)

Alternativas de Relacionamento Afetivo

Quando é Preciso Ser Forte

Código de Ética

Mensagens

Pensamentos

e futuramente:

Manual de Civilidade

Coisas que a vida me ensinou

 

sábado, 29 de Janeiro de 2011 | Autor:

Você sabia que temos o nosso próprio projeto social?

No ano passado, Alessandra Roldan articulou uma parceria entre o Método DeRose e a Clínica Dr. Wagner Montenegro constituindo o Projeto Bela Ação, cujo objetivo é apoiar as pessoas e entidades que querem fazer algo de bom e de útil às comunidades carentes, alinhavando contatos, unindo forças. Foi do nosso Projeto a campanha de doação de medula óssea, que reuniu centenas de doadores no DeRose Festival de São Paulo, além de outras ações. No dia 13 de janeiro de 2011, reunimo-nos no Palácio do Governo Dr. Wagner Montenegro, Daniela, Marcelo Rosenbaum, Alessandra Roldan, Fernanda Neis e DeRose com a Primeira Dama do Estado de São Paulo, Dona Lu Alckmin, para trocar ideias sobre a primeira ação deste ano.

300 cobertores para os desabrigados das chuvas

Sob a batuta da colega Ana Gabi, nossa antiga praticante e por acaso sobrinha do former Governador Goldman, conseguimos doações que nos permitiram adquirir 300 cobertores novos para encaminhar aos desabrigados. Obrigado a quem ajudou e parabéns à Ana Gabi pela competente direção da campanha.

Mais de uma tonelada de alimentos, água, remédios e roupas

Só na cidade de São Paulo, nossas escolas arrecadaram doações dos alunos num total de mais de uma tonelada em poucos dias. Essas doações foram imediatamente (em Ritmo DeRose) encaminhadas à Defesa Civil que procedeu à devida distribuição pelos flagelados das enchentes do Rio de Janeiro. Outro tanto foi arrecadado pelas escolas do Rio, do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. Não tivemos ainda notícias dos resultado da campanha em Minas e noutros estados. Mas temos a certeza de que todos colaboraram.

No Dia do Yôga, traga uma lata de leite em pó

Vamos reunir mais de 500 praticantes para o sádhana comemorativo do Dia do Yôga. Solicitamos que cada participante traga pelo menos uma lata de leite em pó para doarmos a quem precisa. Divulgaremos a entidade oportunamente. Por favor, avise aos colegas, alunos e monitorados, por facebook e todos os demais meios de comunicação, para que ninguém diga que não sabia. Não é obrigatório, mas é meritório!

__________________

Em Portugal também:

Querido Mestre, aproveito para informar que foi criada no espaço Antas a Directoria de responsabilização social. Todas as acções em que seja possível haver a nossa intervenção e apoio vamos estar envolvidos. Para tal agradeço sugestões dos vários seguidores lusitanos, pois o nosso foco de actividade, para já, está localizado em Portugal.
Agradeço desde já a divulgação neste blogue, pois é sem dúvida alvo de visita e acompanhamento de muitas pessoas, também sensíveis à solidariedade.
Este mês estamos a apoiar a Bota Minuto, e deixo o link para quem quiser saber mais informações:
http://metododerose.org.pt/2011/02/responsabilidade-social-vamos-apoiar-a-bota-minuto/
Para mais contactos, esclarecimentos ou ajuda, contactem-me através de sonia.monteiro@metodoDeRose.org
Vamos todos juntos fazer este mundo, um mundo melhor para se viver!

sexta-feira, 14 de Janeiro de 2011 | Autor:

Vamos reunir mais de 500 praticantes para o sádhana comemorativo do Dia do Yôga. Solicitamos que cada participante traga pelo menos uma lata de leite em pó para doarmos a quem precisa. Divulgaremos a entidade oportunamente. Por favor, avise aos colegas, alunos e monitorados, por facebook e todos os demais meios de comunicação, para que ninguém diga que não sabia. Não é obrigatório, mas é meritório!

Equipe de Desenvolvimento:

Daniel Cambría   |   Coordenação Geral https://www.facebook.com/danielcambria

Tiago Pimentel   |   Layout & Identidade Visual https://www.facebook.com/tiagopimentel https://www.flickr.com/designinabox

Alex William   |   Programação Visual (Front End) https://www.facebook.com/alex.brasileiro https://www.artinblog.com

Douglas Gonzalez   |   Programação Back End https://www.facebook.com/douglas.s.gonzalez

Visite o Office em facebook.com/officemetododerose