quinta-feira, 25 de outubro de 2012 | Autor:

Comunico aos nossos estimados amigos e desamigos que fui obrigado a processar criminalmente um instrutor de Yóga que foi responsável pela divulgação de difamação contra mim pela imprensa. A ação resultou numa sanção penal decorrente de um mecanismo conhecido como “transação penal”, por meio do qual o agressor em questão concordou em pagar uma multa para evitar que o processo fosse adiante.

Fico profundamente entristecido que coisas como essa ocorram no seio de uma filosofia que se diz elevada, espiritual, na qual se repetem estribilhos de piedade, de tolerância e de amor. Esse senhor já vinha me atacando pela imprensa e fora dela há mais de dez anos. Acho que ele interpretava como fraqueza a minha postura fidalga de não responder no mesmo tom. Isso, certamente, o encorajou a dizer o que bem entendeu.

Tenho um exército de advogados de várias especialidades e o meu criminalista disse um basta.

Sinto muito pesar porque eu nunca ataquei aquele cidadão, nunca tive nada contra ele e ainda guardo boas recordações de quando nos conhecíamos. Nunca entendi o motivo pelo qual, de uma hora para outra, ele se voltou tão virulentamente contra mim e nem consigo compreender como esse ódio pode durar tantos anos.

Também é muito difícil compreender que alguém que se intitula instrutor de Yóga sinta ódio. Ainda que em algum momento eu o tenha desagradado involuntariamente, onde está a capacidade de perdoar e esquecer que a Yóga tanto ensina?

Quando uma coisa dessas acontece, todos nós praticantes, alunos e instrutores ficamos constrangidos. Isso macula o nome da Yóga e o do Yôga. Quando um profissional de qualquer área atira lama em outro, salpica sujeira em todos os demais, inclusive em si próprio, perante a imprensa e a opinião pública.

Já anteriormente, vários outros agressores foram instados a prestar depoimentos em delegacias policiais por haver dito o que não deviam, pensando que poderiam se escudar na imaginária impunidade baseada no suposto anonimato da internet. Mas não é bem assim. Com a ajuda de alguns especialistas conseguimos rastrear e localizar vários divulgadores de calúnias e difamações perante o Departamento de Crimes pela Internet. O que me deixa mais perplexo é que a maior parte declarou que nunca falou comigo, não me conhecia e nunca havia lido nada que eu houvesse escrito! Eram pessoas ingênuas, manipuladas por gente mal-intencionada. Odiavam-me gratuitamente, só porque praticavam outra modalidade e, lá onde praticavam uma suposta Yóga, haviam escutado maledicências. É mesmo uma vergonha para todos os adeptos de qualquer vertente, tanto da Yóga, quanto do Yôga.

Nenhum praticante, aluno ou instrutor pode furtar-se a uma profunda decepção com seus mentores ao ser obrigado a defrontar-se com uma indignidade dessas.

_______________________

Optei por não mencionar o nome da pessoa acima citada a fim de não lhe causar constrangimento nem lhe conceder divulgação. Devemos lembrar-nos de que fiquei bem mais conhecido, cresci muito e vendi muito mais livros graças à publicidade que meus opositores me proporcionaram. Em uma obra sobre sucesso profissional há uma frase que ilustra o fenômeno. Disse o autor: “Para ficar forte e vencer, se você não tem inimigos arranje alguns.” Embora eu não queira cultivar inimigos, sei o quanto essa máxima é verdadeira. Os que se consideram como tal me ajudaram muito em minha carreira já com mais de 50 anos de ensino da filosofia hindu.

Eu gostaria que todos os colegas (eu inclusive), fizéssemos um exercício de humildade e nos reconciliássemos. Todos os alunos de todas as modalidades, unanimemente, se sentiriam mais confortáveis e felizes se nós o conseguíssemos. Todos considerariam que, aí sim, nós seríamos dignos de ensinar algo que tem o nome de Yôga (que, traduzido, significa “união”).

quarta-feira, 7 de setembro de 2011 | Autor:

Olá querido Mestre,

Uma triste realidade que necessita ajuda para deixar de existir!!

Relatado pelo amigo Paulo Coração http://www.facebook.com/profile.php?id=1307898961

Pessoal,
Dias atrás, falei sobre o caso de Taguatinga Norte em que um cão foi assassinado no domingo retrasado por um policial militar do DF em serviço.
Consegui falar com o Willian, dono do cão que me falou o seguinte:

Ele estava andando com seu cão, um rottweiler de 5 meses de idade a 50 metros de sua casa na praça de sua quadra e o cão estava preso à guia.
Parou uma viatura da PM e o policial disse que era proibido andar com o cão alí.

“Até onde sei é proibido andar com cães de porte grande sem focinheira”
É isso mesmo gente?

Continuando: O dono do cão argumentou ao PM que o cão ainda era filhote e que estava bem seguro.
O PM engrossou e disse que dava um tiro no cão e outro nele se não o tirasse dalí.
O dono do cão, Willian, perguntou se aquilo era uma ameaça. Foi quando o PM desceu da viatura e efetuou o disparo atingindo a cabeça do cão.
O cão estava entre as pernas do Willian e preso à guia quando foi atingido pelo disparo.

Então, Willian, trantornado, chamou o PM de covarde. Então os PMs o prenderam por desacato à “autoridade”…
Willian mesmo chorando não teve sua prisão aliviada. Foi levado ao DP algemado e no cubico como se fazem com criminosos.

Chegando ao DP, o delegado, depois que “fez” e deturpou a ocorrencia, chamou o sargento da Pm, “responsável” pela viatura do caso, e na frente do Willian, sem nenhum princípio, disse ao sargento que poderia ficar tranquilo que sua barra seria limpa…
Além de ter perdido seu cão dessa forma, Willian foi preso, teve que ouvir isso e sair do DP sem reclamar…

Estamos na capital da republica ou em regiões do país onde fazendeiros, pistoleiros e policiais são autoridade máxima no estado???

Tenho em mãos fotos do cão morto, o cartucho do disparo, mas não foi encontrado o projétil que se perdeu no corpo do cão, e também tem a acorrencia “feita” pelos poiliciais. Além de testemunhas que presenciaram o acontecido.

Acho que a imprensa deve ser acionada nesse caso. Quem tiver os contatos da imprensa local, por favor de uma ajuda.

O contato do dono do cão é willian.diego@gmail.com. O fone dele estava anotado aqui, mas consigo novamente.

Agradeço aos amig@s, inclusive amigos policiais, que estão nos auxiliando nessa!

Quem tiver alguns minutos, pode preencher o formulário do MPDFT pra denunciar: http://www.mpdft.gov.br/ouvidoriaInternet/visao/formularioEletronico.php?tr=12 abuso de autoridade e crime de maus tratos a animais (Lei 9605/98 art. 32 salvo engano), mandem o link da notícia tb, do facebook.. Acho que um volume grande de denúncias, com o link da reportagem, pode motivar o a promotoria do meio ambiente a tomar alguma atitude. A PMDF já vi que não vai fazer nada, pois tirou o dela da reta e acobertou o PM. Quer vc goste de animais ou não, é injustificável isso, tem que denunciar pra esse maluco deixar de andar armado por ai fazendo esse tipo de coisa e ainda sendo pago pela gente..

Paulo Coração e Amigos.

Pensei em compartilhar com a egrégora para que possamos ajudar a denunciar tamanha brutalidade e abuso cometida pela PM DF.

Felipe Martins

Yôgin Sede Decana

terça-feira, 6 de setembro de 2011 | Autor:

Mestre, cómo estás?

Quizás ya lo viste, pero te mando un video genial que satiriza nuestra vida online.

Abrazo inmenso!!!!!

Martín Pereira
Sede Palermo
Buenos Aires

Reply ]

You Submit on Mon Sep 05 2011 16:38:02 GMT-0300 (Hora oficial do Brasil):

Caramba! Que ridículo!
Faltou contar os casos que acabaram em constrangimentos, desastre, assédio, extorsão e sequestro por causa da mania de expor sua vida nas redes sociais da internet.

quarta-feira, 13 de julho de 2011 | Autor:

Repasso como recebi.

Sergio

 

“Trata-se de um novo tipo de crime, mais sofisticado que aqueles que conhecemos.

Recebi, por volta das 15h de ontem, uma ligação no meu celular, de uma pessoa que se identificou como do Setor de Fraudes do Banco Santander (onde possuo conta). Ela questionou se eu havia feito operações de débito ontem. Por azar, eu fiz, e disse que sim. Ato contínuo, ela informou que na transição do Banco Real para Banco Santander, era praxe uma verificação com o cliente sobre tais operações. Segundo ela, após tentativas de contato com o meu telefone fixo (ela falou o número do meu telefone fixo), como ninguém atendeu (e de fato não tinha ninguém em casa), referido “Setor de Fraudes” “bloqueou temporariamente meu cartão”, e precisava da minha confirmação para a liberação.

Ato contínuo, ela confirmou todos os meus dados (ela falou meu nome completo, nome dos meus pais, meu endereço, meu CPF, etc., e eu simplesmente falava ok, como, aliás, é o procedimento de praxe dos bancos. Notem que eu não passei nenhum dado pessoal, isto é, ela falava e eu apenas concordava com os dados que ela passava. Ato contínuo, ela falou “Obrigado pela confirmação. Para a liberação do seu cartão, com validade até maio de 2014 (ela sabia a data que o meu cartão expirava), preciso que o senhor dite o número”. E eu, diante de todas as confirmações, inclusive quanto à data de validade, ditei normalmente o número constante na frente do cartão. Ela agradeceu e disse que estava desbloqueando.

Solicitei, então, o número de protocolo, quando ela gaguejou, me passou qualquer número e logo suspeitei. Imediatamente liguei para a Central de Atendimentos do Santander, e, enquanto falava com eles, acessei minha conta pela internet, quando constatei que já haviam sido realizadas três transferências sem minha autorização. Fiz o protocolo de reclamação e agora aguardo a análise do setor de fraudes.

Notem que, neste golpe, você não passa nenhuma informação pessoal ou senha. A pessoa já tem os nossos dados (facilmente obtidos pelo mercado paralelo de venda de informações), inclusive do cartão.

Portanto, fiquem atentos e não caiam nesse golpe!!!

Abraços”.

O Sergio (rotariano) não disse quem foi que mandou para ele este e-mail.

domingo, 3 de abril de 2011 | Autor:

Oi Mestrão,

aproveito para compartilhar um trecho em vídeo de uma entrevista gravada em 1988 por Bill Moyers, no programa de TV World of Ideas, onde Isaac Asimov prevê o impacto da internet em nossa educação.

Um abraço grande e até o Costão, ou antes! 🙂

Júlio Simões
Unidade Centro Cívico
Curitiba – PR – BRA

quinta-feira, 4 de junho de 2009 | Autor:

Você já notou que os últimos posts foram feitos a partir de dicas, links, descobertas e sugestões de companheiros do blog? Isto é muito bom. Isto é compartilhar. E, como não tenho tempo de ficar fuçando a internet, quando alguém descobre alguma coisa e compartilha, está me ajudando enormemente a manter um blog dinâmico, divertido e útil.

Leia mais »

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009 | Autor:

Que inconveniente! Parou tudo… nada funciona. Terá sido um virulento vírus? Ou um protozoário virtual? Ataque de hackers?

Não, nada disso, pois o computador em que trabalho não é conectado à internet. Também não entra nenhum disquete que não tenha a virgindade atestada. 

Foi mesmo uma fatalidade, bem comum nesse tipo de máquina primitiva.

Por que não estou arrasado, arrancando os cabelos? Ora, porque faço back-ups constantes, como todo o mundo sabe que deve fazer!

Então, prossigamos (com os outros computadores) o nosso trabalho como se nada tivesse ocorrido.

José Afonso
http://www.espaceenergie.fr | jose.afonso@espaceenergie.fr | 88.166.184.241

Este programa gratuito permite configurar back-ups automáticos (diarios, semanais, mensais, etc ) para um disco externo ou mesmo para um servidor na internet por ftp:

http://www.educ.umu.se/~cobian/cobianbackup.htm

abraços,

Leia mais »

Equipe de Desenvolvimento:

Daniel Cambría   |   Coordenação Geral https://www.facebook.com/danielcambria

Tiago Pimentel   |   Layout & Identidade Visual https://www.facebook.com/tiagopimentel https://www.flickr.com/designinabox

Alex William   |   Programação Visual (Front End) https://www.facebook.com/alex.brasileiro https://www.artinblog.com

Douglas Gonzalez   |   Programação Back End https://www.facebook.com/douglas.s.gonzalez

Visite o Office em facebook.com/officemetododerose