quarta-feira, 14 de setembro de 2011 | Autor:

Mestrinho, achei muito interessante esse vídeo. Mostra como inúmeros danos causados a natureza está intimamente ligado ao uso da carne, principalmente o efeito estufa. Talvez situações que ninguém imagine, pelo menos aqueles que ainda fazem uso desse tipo de alimento. É tão fácil ajudar o meio ambiente, são apenas escolhas inteligentes. Compartilho!

httpv://youtu.be/5IpCZEh5eIA

 Assista também às partes 2, 3, 4 e 5.

quarta-feira, 26 de Maio de 2010 | Autor:

Você já assistiu o DVD “A carne é fraca”? Procure assisti-lo. Ele foi publicado pelo Instituto Nina Rosa e a Uni-Yôga já realizou uma co-edição com ela.  Acredito que se você procurar no Google vai encontrar esse material.

Por enquanto, vá assistindo o vídeo do link abaixo, enviado pelo Rafael, que trata do mesmo tema:

Rafael
rafaelschoenfelder@gmail.com | 201.35.2.37

Olá Mestre ,

No sentido de contribuir, posto aqui o link de um documentário bem recente idealizado
pelo ” Partido dos Animais ” da Holanda.

É o complemento ao “An Inconvenient Truth” do Al Gore, que por motivos políticos, suprimiu os dados sobre a enorme influência da pecuária no aquecimento global.

http://video.google.com/videoplay?docid=2756277227675684050&hl=pt-BR

Com legendas em português.

Abraço

Cissa
cissavidal@gmail.com | 201.47.26.130

mais um pouco
http://www.vista-se.com.br/terraqueos/

Leia mais »

terça-feira, 2 de Março de 2010 | Autor:

Oi Mestre!

O mapa indica quantas pessoas nascem e morrem no mundo e em cada país a cada instante, indica a população de cada nação e as emissões de CO2. Basta colocar o cursor em cima.

http://www.breathingearth.net/

Um forte abraço

Danilo Chencinski
Instrutor da unidade Vila Mariana, São Paulo, Brasil
Leia mais »

quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2010 | Autor:

Olá Mestre,

Uma aluna (Daniela) enviou este link, muito interessante sobre a produção e consumo de carne.

http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2010/02/23/terra+e+incapaz+de+acompanhar+ritmo+atual+de+consumo+de+carnes+e+pescado+9406165.html

Abraços,

Sergio Ferreira

_____________________

Mestre, veja que matéria interessante. O que será preciso para que as pessoas percebam que uma mudança é necessária? Beijos!

Terra é incapaz de acompanhar ritmo atual de consumo de carnes e pescado
23/02 – 11:29 – AFP

No topo absoluto da cadeia alimentar, os seres humanos se dão ao luxo de comer de tudo, mas a um preço elevado: a pesca massiva está levando as espécies marinhas à extinção, e a piscicultura polui a água, o solo e a atmosfera – o que precisa fazer com que mudemos de hábitos.
Alimentar a humanidade – nove bilhões de indivíduos até 2050, segundo as previsões da ONU – exigirá uma adaptação de nosso comportamento, sobretudo nos países mais ricos, que precisarão ajudar os países em desenvolvimento.

Segundo um relatório da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), publicado nesta quinta-feira, a produção mundial de carne deverá dobrar para atender à demanda mundial, chegando a 463 milhões de toneladas por ano.

Um chinês que consumia 13,7 kg de carne em 1980, por exemplo, hoje come em média 59,5 kg por ano. Nos países desenvolvidos, o consumo chega a 80 kg per capita.

“O problema é como impedir que isso aconteça. Quando a renda aumenta, o consumo de produtos lácteos e bovinos segue o mesmo caminho: não há exemplo em contrário no mundo”, destacou Hervé Guyomard, diretor científico em Agricultura do Instituto Nacional de Pesquisa Agrônima da França (INRA), responsável pelo relatório Agrimonde sobre “os sistemas agrícolas e alimentares mundiais no horizonte de 2050″.

Atualmente, a agricultura produz 4.600 quilocalorias por dia e por habitante, o suficiente para alimentar seis bilhões de indivíduos.

Deste total, no entanto, 800 se perdem no campo (pragas, insetos, armazenamento), 1.500 são dedicadas à alimentação dos animais – que só restituem em média 500 calorias na mesa – e 800 são desperdiçadas nos países desenvolvidos.

Por outro lado, o gado custa caro ao meio ambiente: 8% do consumo de água, 18% das emissões de gases causadores do efeito estufa (mais que os transportes) e 37% do metano (que colabora para o aquecimento do clima 21% mais que o CO2) emitido pelas atividades humanas.

E, mesmo que seja fonte essencial de proteínas, a carne bovina não é “rentável” do ponto de vista alimentar: “são necessárias três calorias vegetais para produzir uma caloria de carne de ave, sete para uma caloria de porco e nove para uma caloria bovina”, explicou Guyomard.

Desta maneira, mais de um terço (37%) da produção mundial de cereais serve para alimentar o gado – 56% nos países ricos – segundo o World Ressources Institute.

Seria o caso, então, de reduzir o consumo de carne e substitui-lo pelo peixe?

Os oceanos não podem ser considerados uma despensa inesgotável, estimou Philippe Cury, diretor de pesquisas do Instituto de Pesquisas para o Desenvolvimento (IRD).

O número de pescadores é duas a três vezes superior à capacidade de reconstituição das espécies.

No atual ritmo, a totalidade das espécies comerciais haverá desaparecido em 2050.

Bruno Sousa, Unidade Leblon, Rio de Janeiro

___________________

Mestre

Neste link do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), que cita uma matéria da Época
http://www.inpe.br/noticias/clipping/img/clip10122009_15.pdf

O link acima trata de um estudo de pesquisadores de várias instituições tais como o INPE e a UnB. O sumário executivo feito por esses cientistas está no link abaixo. Nele consta que 3/4 do desmatamento da amazônia se devem especificamente à atividade da pecuária bovina. (O que o estudo não relaciona é o quanto que foi desmatado para a produção de soja [ração para o gado] que é de 25% segundo o Ministério do Meio Ambiente. Faça as contas e verá que dá 100%!)
Esse é o link para aquele estudo. Veja essas informações na página 1, último parágrafo.
http://www.amazonia.org.br/arquivos/337617.pdf

Um abraço
César – Unidade Saquarema – RJ

Leia mais »

segunda-feira, 11 de Janeiro de 2010 | Autor:

Mestre, a série Coisas que a vida me ensinou está excelente.

Assisti a um vídeo que acho muito interessante. Eventualmente volto a vê-lo e pensei que talvez o agradasse também.
Eu gosto dele, pois não quero que ninguém manipule minhas ações através do medo. Já chega o medo que o Ser Humano tem de tudo por natureza, mas sempre tentam nos colocar um pouco mais para que nos tornemos mais manipuláveis.

http://vimeo.com/1763687

Abraço, Mestre.
Sinto falta das aulas de terça, pois tenho uma certa necessidade de ver que você está bem, saudável e feliz.
Espero que esteja tudo ótimo por aí.

O remetente pediu para não ser identificado.

________________________

 

 

Arthur Costi

Excelente documentário, me faz lembrar de uma rotina de uns dos melhores comediantes “stand-up” que eu conheço.

http://www.youtube.com/watch?v=X_Di4Hh7rK0

Leia mais »

sábado, 28 de novembro de 2009 | Autor:

É muito fácil livrarmo-nos desses terríveis sinistros. Imagine o desespero e o sofrimento de uma pessoa morrendo queimada. Em grandes incêndios de edifícios, hotéis, casas de espetáculos, multiplique esse sofrimento por centenas. E parece que as pessoas consideram isso simplesmente um acidente inevitável, sobre o qual não temos nem devemos ter nenhum controle, pois pouco fazem para evitá-lo. Por que digo isto? Porque é muito simples reduzir os riscos de incêncio a quase zero.

Em primeiro lugar, precisamos reconhecer que um grande número de sinistros em empresas e residências foram e são causados por uma espécie de animal irracional chamado fumante. Já sabe que dá câncer e mais uma constelação de enfermidades graves denunciadas por lei na embalagem de cada maço de cigarros. Mas, incompreensivelmente, o hominídeo continua comprando e usando o produto mortal. Mais mortal ainda quando põe fogo na casa.

Em segundo lugar, precisamos deixar de seguir cumprindo o paradigma estúpido de utilizar produtos inflamáveis nos materiais de construção e de decoração. Tinta é inflamável. Piso de madeira e carpete são inflamáveis. Cortinas de tecido ou persianas de madeira são inflamáveis. Por que então as pessoas continuam utilizando esses materiais? Essa é mais uma demonstração da falta de visão de futuro da espécie que se autodenominou “sapiens”. Agora – diz ele –  eu quero usar estes produtos porque são mais baratos, ou porque são mais bonitos, ou porque sempre se fez assim. Depois é futuro. Pode ser que nem pegue fogo…  “Não podemos ser paranóicos.” Essa foi a frase de um amigo meu que foi assaltado um sem-número de vezes por facilitar, sofreu vários acidentes de carro por falta de previsão e finalmente morreu em um incêndio.

Na construção da minha casa, na Alameda Jaú 2000, os pisos dos cinco andares são de ardósia, pedra, que não pega fogo. Ao invés de cortinas de tecido utilizei persianas de alumínio (exceto onde precisei de uma cortina black-out). Nas paredes não há tinta e sim porcelanato refratário ao calor que tende a retardar a propagação de algum incêndio ocorrido no prédio vizinho.

Além disso, em cada andar encontram-se vários extintores de incêndio a CO2 que pode ser usado inclusive em eletricidade. Embora a probabilidade de incêndio numa casa construída dessa forma seja quase nula, projetei em cada andar uma porta de escape que dá diretamente para a rua. Entre as medidas de segurança, estamos a cinco minutos de um corpo de bombeiros.

No entanto, só poderemos considerar que demos um passo efetivo na prevenção de incêndios quando utilizarmos fontes frias de energia. Eletricidade, gasolina, álcool ou carvão são fontes que produzem incêndios e nem compreendo como não ocorrem com muito mais frequência. Quando utilizarmos energia aeólica, energia geomagnética e outras com as quais ainda nem sonhamos, isso somado à utilização de materiais não-combustíveis nas construções/decorações e quando os fumantes estiverem extintos, muito menos gente será supliciada em incêndios perfeitamente evitáveis.

Leia mais »

quinta-feira, 30 de julho de 2009 | Autor:

Ale Filippini

Aqui vai um pouco (ou muito) mais sobre o impacto da pecuária no nosso planeta.
Como é bom sermos vegetarianos e saber que contribuimos de várias maneiras para um mundo melhor (embora ainda haja tanto a fazer):

Impacto da Pecuária Bovina no Brasil
Resumo da palestra proferida por Adriana da Conceição (bióloga com especialização em Gestão Ambiental)

Um pouco da História
– Primeiros impactos no mundo: pastores transformaram florestas em savanas, devido à prática da queimada e pisoteio do gado.
– Ocorreu principalmente no Mediterrâneo e Oriente Próximo.
– No Brasil causou grande impacto na devastação da Mata Atlântica (hoje só restam 7% da mata original).

Impactos na água
Para produzir:
– 1 kg carne consome 20.000 litros de água comparar com
1 kg arroz consome 4.500 L
1 kg trigo consome 1.500 L
1 kgbatata consome 150 L
– um matadouro grande em São Paulo gasta 4.250.000 l/água/dia
– uma pessoa que consome 35kg/carne/ano (média brasileira) pode chegar a gastar 700.000 l/água/ano

Impactos na ocupação de terras
– 1/3 da produção agrícola mundial vai para o gado.
– Ocupa 75% das terras produtivas brasileiras (não adianta confinar o gado, pois o mesmo pode comer 7kg ração para produzir 1kg de carne).

Devastação da Amazônia
– Pecuária: principal causa de desmatamento
(2º é a soja – veja mais em: http://www.reporterbrasil.org.br/clipping.php?id=50 )
– Ocupa um área igual a região sul do Brasil em gado na Amazônia + uma região igual a área do Paraná em pasto abandonado)
– Pecuária contribuiu com 80% do total do trabalho escravo na região em 2004 e 62% em 2007.

Devastação do Pantanal
– Introdução de capim que tem devastado a vegetação local
– Fazendeiros e carvoarias: parcerias
– Provoca assoreamento dos rios da região
Savanas – pode-se dizer que a savana é uma formação vegetal herbácea (ervas) alta, atingindo nalgumas regiões os 2 metros de altura, e “salpicada” de algumas árvores e arbustos.
Assoreamento – são os processos erosivos, causado pelas águas, ventos e processos químicos, antrópicos e físicos que desagregam os solos e rochas formando sedimentos que serão transportados. O depósito destes sedimentos constitui o fenômeno do assoreamento.

Aquecimento Global (aumento do efeito estufa)
– Pecuária foi declarada pior que os automóveis.
– Vegetarianos geram menos 1.485 kg/CO2/ ano.
– No Brasil: maior emissão de CO2 pelas queimadas da Amazônia, de metano (arroto de mais de 200 milhões de bovinos) e óxido nitroso (esterco).
– No mundo: maior emissão de metano e óxido nitroso também
– Rendimento de terras – veja texto abaixo
Fonte: http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDR770746010,00.html
“O raciocínio é matemático”, diz Greif. Para ele, alimentar os bois com pasto ou grãos é o meio menos eficiente de gerar calorias. A produção de grãos de uma fazenda com 100 hectares pode alimentar 1.100 pessoas comendo soja, ou 2.500 com milho. Se a produção dessa área for usada para ração bovina ou pasto, a carne produzida alimentaria o equivalente a oito pessoas. A criação de frangos e porcos também afeta as florestas. Par a alimentar esses animais, é necessário derrubar árvores para plantar soja e produzir ração. Mas, na relação custo-benefício entre espaço, recursos naturais e ganho calórico, o boi é o pior. ”
Vantagens na saúde
– Diabetes: risco 80% menor em contrair doença
– Pressão arterial mais baixa.
– Redução doença cardíaca.
– Doenças renais menos incidentes.
– Veganos: mais saudáveis

Doenças ligadas ao consumo de carne
– Cardíacas
– Parkinson: UNIFESP – pacientes melhoraram 70% sem carne
– Artrite e infecções: molécula estranha da carne provoca estas infecções
– Câncer e danos ao DNA – pesquisa britânica
– Câncer de próstata: INCA e pesquisa na Califórnia
– Câncer de intestino: várias pesquisas e uma que foi uma das maiores da Europa com 500 mil pessoas em 10 anos
– Câncer de mama – Harvard – dobro do risco
Referências e recomendações de sites e livros:
FAO
PNUMA
EMBRAPA
CETESB
http://www.svb.org.br/
http://www.guiavegano.com/

Além da pecuária ser campeã em trabalho escravo, está acabando com a água potável do planeta. Segundo a FAO (ONU) é uma das grandes responsáveis pelo efeito estufa, e ainda é campeã absoluta em desperdício, pois compromete o solo, gasta uma quantidade exorbitante de água e energia, e gera bilhões de toneladas e poluentes.
“Aqueça seu coração, não o planeta. Seja vegetariano!’

Alê – Unidade Alphaville / SP
Leia mais »

Equipe de Desenvolvimento:

Daniel Cambría   |   Coordenação Geral https://www.facebook.com/danielcambria

Tiago Pimentel   |   Layout & Identidade Visual https://www.facebook.com/tiagopimentel https://www.flickr.com/designinabox

Alex William   |   Programação Visual (Front End) https://www.facebook.com/alex.brasileiro https://www.artinblog.com

Douglas Gonzalez   |   Programação Back End https://www.facebook.com/douglas.s.gonzalez

Visite o Office em facebook.com/officemetododerose