terça-feira, 11 de setembro de 2012 | Autor:


 

Ao longo de décadas, tenho tido ao meu lado um amigo exemplar, cuja fidelidade sempre impressionou a quantos de nós se aproximaram. É o Mestre Sérgio Santos, carinhosamente chamado pelos mineiros de “Més Sérj”.

Apesar de Mestre, escritor e Presidente de Federação, sempre preservou a humildade perante o seu próprio Mestre. Foi, no seu tempo de aprendizado, o instrutor que mais fez cursos e que mais viajou me acompanhando por todos os cantos do Brasil e fora dele, inclusive à Índia.

Sempre esforçado, Sérgio soube enfrentar as dificuldades naturais da região em que labuta até hoje com honra e com garra. As Minas Gerais são uma nação refratária. Refratária não especìficamente com relação ao Yôga ou ao nosso trabalho, mas tradicionalmente, com relação a tudo. O cartunista Ziraldo, que é mineiro, um dia desenhou uma série de cartuns sobre os seus conterrâneos. Em um deles, Ziraldo desenhou uma pessoa com as duas pernas na posição normal e com uma terceira perna para trás: “o mineiro é desconfiado, sempre tem um pé atrás”.

Mas o meu amigo Sérgio Santos é minerin’ da gema. Não se assustou com isso. Aceitou o desafio e tem tocado muito bem a sua missão, tão bem quanto a sua nação e a sua cidade permitem. Seus livros são lidos em todo o país, na América Latina, nos Estados Unidos e na Europa. Seu exemplo de lealdade, seguido por todos os que travaram contato próximo com ele.

A vida é constituída de altos e baixos. Precisamos aceitar esse fato e sobreviver aos baixos para que prossigamos vivendo nos altos. Hoje, meu amigo está lutando para conseguir cuidar dos pais, ambos hospitalizados, e ainda manter seu trabalho. Nós, seus companheiros do Sistema DeRose, estamos procurando ajudá-lo de todas as formas. Esperamos que ele perceba isso e que reconheça os nossos esforços para apoiá-lo neste momento difícil.

Há uma parábola hindu de um rei que chamou um sábio e lhe pediu um ensinamento que servisse para todas as ocasiões. O sábio lhe disse: “Isto também passa.” O maharája ficou insatisfeito. Perguntou que raio de sabedoria era aquela. O sábio lhe disse: “Quando Vossa Majestade estiver em um bom momento, vitorioso, feliz, poderoso, fique atento porque esse status quo não durará para sempre. Diga ‘isto também passa’ e, assim, Vossa Majestade tratará com mais equidade os que forem seus súditos, ministros, amigos e inimigos, preparando a estrutura para quando a maré mudar. O mundo evolui em ondas. Um dia está em cima, no outro está embaixo. Quando estiver por baixo, tendo perdido batalhas, sofrido revezes, enfermidades, traições, diga ‘isto também passa’ e verá que o sofrimento será bem atenuado. Basta esperar que ‘isto também passa’.”

Més Sérj, estamos com você.


Categoria: Amigos